Tags: Obrigações | Ações |

PSI encerra com queda de quase 1%


O índice português encerrou hoje a cair 0,94% para os 6.294,590 pontos, acompanhando a tendência da maioria das congéneres europeias. Madrid caiu 0,73%, Paris 0,09% e Frankfurt no verde cresceu 0,1%.

José Barroso, do Popular Gestão de Ativos explica que "  dia foi de tendência negativa nas principais bolsas europeias, a corrigir de certa forma os recentes ganhos que têm tido". 

Na NYSE Euronext Lisboa foram o dia foi de quedas e apenas duas empresas cotadas conseguiram valorizar: ESFG e Galp Energia.

A maior queda do sector bancário foi protagonizada pelo BPI que caiu 2,37% para os 1,152 euros, enquanto o BES terminou a cair 1,68%. O BCP encerrou a desvalorizar 0,62% e o Banif manteve os valores inalterados.

As restantes empresas do sector energético registaram quedas que ficaram abaixo de 1%.

Nas telecomunicações  os pesos pesados Zon Optimus e Sonaecom caíram 3,40% e 2,74%, respetivamente, enquanto a PT teve uma queda de 1,21% para os 3,100 euros.

As maiores desvalorizações do dia ficaram a cargo da Altri que caiu 4,23%, e da Mota-engil, que encerrou a desvalorizar 4,05%.

A Jerónimo Martins ainda que no vermelho, conseguiu ter a desvalorização mais pequena do dia, de 0,33% para os 14,945 euros.

José Barroso acrescenta que "o decorrer do dia foi calmo e a aguardar por dados macroeconómicos dos EUA que, mais uma vez, vieram dar força à ideia de que o início da retirada do programa de apoio a economia (QE3) deverá ocorrer, ao que tudo em indica, entre Fevereiro e Março de 2014. A surpresa surgiu na possibilidade do BCE poder vir a baixar a taxa de juro dos depósitos que os bancos fazem junto dele de 0% para -0,1%. Esta medida poderia enquadrar-se na tentativa de incentivar os bancos a emprestarem uns aos outros ou à economia real em vez de simplesmente parquearem a sua liquidez junto do BCE em busca duma maior segurança".         

 

Profissionais
Empresas

Próximos eventos