Tags: Emergentes |

Private no topo do investimento


Em julho, segundo os dados da ANBIMA, o segmento Private foi quem mais investiu em fundos de investimento, com um valor a rondar os 360 mil milhões de reais, o que corresponde a cerca de 15% de todos os investimentos realizados na indústria. O seu maior investimento ocorreu na categoria de multimercados atingindo mais de 171 mil milhões de reais. Também os fundos de obrigações são dos preferidos para este segmento, com mais de 61 mil milhões de reais investidos no primeiro mês do segundo semestre do ano. Já os fundos de dívida externa e de previdência estão fundo da tabelas das preferências.

Também os clientes denominados Corporate investiram um valor a rondar os 360 mil milhões de reais (356 mil milhões) e as suas preferências são parecidas com os clientes do segmento Private: Multimercados e renda fixa, no entanto, como valores bem diferentes. 6 mil milhões de reais é o que separa o investimento em fundos da categoria multimercados (97 mil milhões) da de renda fixa (91 mil milhões). Fecha o TOP 3 os FIDC com mais de 57 mil milhões de reais.

Já o segmento EAPC investiu mais de 343 mil milhões de reais, com destaque natural para os fundos de previdência (304 mil milhões). O EAPC é a Entidade Aberta de Previdência Complementar que tem como objetivo criar e gerir Planos de Previdência Aberta Complementar.

Quem menos investiu

O segmento de capitalização foi o que menos investiu durante o mês de julho, no montante total de 14,1 mil milhões de reais. A esmagadora maioria desse investimento foi em fundos de obrigações (13,9 mil milhões).

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos