Porquê investir em 'hedge funds' e qual a melhor maneira de o fazer?


Adapt or perish, now as ever, is nature's inexorable imperative.”

H. G. Wells

Como tudo na vida há “many ways to skin a cat”. Muitas vezes não há uma estratégia (ou modo de fazer as coisas) que seja sempre superior. O que acontece é que uma estratégia mostra-se superior durante um período sendo substituída por outra e assim por diante. Para pessoas muito inteligentes o ideal é rodar continuamente da estratégia que mais valorizou para a que mais irá valorizar no futuro. O que não se pode fazer é ir atrás da estratégia que valorizou muito durante um grande período e que depois deixa de valorizar, ou seja, ir um pouco atrás do prejuízo.

 

Nós não nos achamos capazes de adivinhar que investimentos vão valorizar mais em cada momento e por isso usamos a estratégia que descrevo em baixo, que nunca muda, e que tem os seus períodos melhores e os seus momentos menos bons.

O Banco BPI tem uma sociedade especializada no investimento em 'hedge funds' que se chama BPI Strategies – Vasco da Gama. Esta sociedade fez 10 anos em 2010 e aqui fica partes da carta que escrevemos aos nossos investidores, pelo nosso 10º aniversário, para explicar o que fazemos e como fazemos.

Os 'hedge funds' são veículos de investimento, usualmente constituídos sobre a forma de sociedades ou de fundos, que investem em diversos mercados na tentativa de obterem lucro, independentemente do comportamento de subida ou descida dos mercados.

Por esta razão a indústria dos 'hedge funds' também é apelidada de retorno absoluto, pois o objectivo é conseguir obter lucro sempre. A grande diferença para os fundos tradicionais é que na indústria tradicional a maioria dos fundos tem políticas de investimento rígidas e muito específicas e por essa razão quando o mercado não é favorável a esses objectivos de investimento, não conseguem gerar retorno.

Os 'hedge funds' em geral tem uma política de investimento mais abrangente e não se encontram confinados a uma determinada política de investimento muito restrita. No caso dos 'hedge funds' a latitude do gestor é grande e a variedade de investimentos permitidos também.

A maior parte dos Fundos tradicionais, por serem mais rígidos, obrigam o investidor a estar mais atento, pois quando o mercado explorado por esse fundo deixar de valorizar é tempo de sair. O gestor do Fundo tradicional não pode deixar de obedecer à política de investimento do Fundo e por isso tem que ser o investidor a actuar.

Nos 'hedge funds' como as políticas de investimento são mais latas e como a possibilidade de ganhar com as quedas de mercado é aceite, podem navegar todos os mercados, o que não garante o seu sucesso sempre, mas não o exclui.

No passado, as acções já tiveram alguns grandes períodos em que não subiram, nomeadamente nos anos 30 e nos anos 70. A título de exemplo as acções americanas medidas pelo índice Dow Jones estavam em 1982 ao mesmo nível que estavam em 1966. Mesmo em Portugal o índice PSI20 já esteve nos 14.000 pontos em 1998, 2000, 2007 e mais recentemente está nos 6.200 pontos.

Por esta razão nós achamos interessante ter um produto que pode navegar mesmo em mercados difíceis que andam de lado.

Para além deste argumento, para um investidor que não tenha tempo de acompanhar constantemente os mercados financeiros deve investir em produtos para todas as estações, ou seja, que se adaptem aos mais diversos ambientes e os 'hedge funds' são concebidos para isso.

Agora que sabemos porque é que queremos investir em 'hedge funds' importa saber como o fazer.

Aqui há duas coisas muito importantes

1.Qual a estratégia que decidimos usar;

2.Como a implementamos e executamos.

Existem cerca de 8.000 'hedge funds' no mundo inteiro e temos que escolher, com critério, em quais é que vamos confiar os nossos investimentos.

A estratégia de investimento do BPI, na qualidade de 'investment manager' do Vasco da Gama, assenta em 4 pilares essenciais:

 

 

 

 

 

 

 

 

1. Como os 'hedge funds' são empresas comum potencial de dissolução elevado, nós diversificamos o investimento em múltiplos Hedge Funds e com pouco peso em cada um (Risk Not Thy Whole Wad);

2. Investimos em 'hedge funds' que estão a obter lucro agora. A frase "Past performance is not indication…." para nós não é verdadeira, pois "recent past performance" é muito indicativa do que pode acontecer;

3. Se um hedge 'fund' deixar de obter lucro nós resgatamos rapidamente;

4. Evitamos 'hedge funds' com má liquidez ou que façam investimentos ilíquidos.

Esta é a estratégia que nós usamos desde 2000. Há outras estratégias mas a verdade é esta nos tem servido bem.

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos