Popular Tesouraria: o melhor fundo da sua categoria em 2015


Está quase a fazer um ano que a denominação dos fundos de tesouraria foi modificada para fundos de curto prazo, segundo a categorização da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP. Em Portugal, a Associação conta oito fundos neste segmento, que somavam no final de setembro cerca 775 milhões de euros em património.

O maior produto deste grupo é gerido pela BPI Gestão de Activos e denomina-se de BPI Liquidez. No final de agosto o seu património ascendia a mais de 400 milhões de euros, representando cerca de 55% do total da categoria. Apesar de ser o maior produto do segmento, é dos que menor rendibilidade regista em 2015. Até ao dia 9 de outubro o fundo apresenta uma rendibilidade de 0,037%. Na última ficha mensal publicada pela entidade sobre o produto, referente ao final do mês passado, podia ler-se que "setembro foi um mês muito complicado nos mercados financeiros, com fortes perdas nos emergentes, com incerteza relativa à política monetária americana, com a fraqueza continuada das commodities, culminando com a questão da Volkswagen. Estes últimos episódios foram determinantes para o desempenho negativo que o BPI Liquidez obteve” no mês de setembro.

Popular Tesouraria lidera em 2015

Já o fundo mais rentável em 2015, até ao dia 9 de outubro é o Popular Tesouraria. É um dos produtos mais pequenos do segmento mas isso não o impede de ser o mais rentável. No período em análise atinge uma valorização de 0,43% tendo cerca de 15 milhões de euros em património no final de setembro. De acordo com a política de investimento do produto, este investe em “valores mobiliários de curto prazo e baixa volatilidade, depósitos bancários com maturidades residuais inferiores a 12 meses, e instrumentos do mercado monetário”. Desta feita, o maior investimento em carteira, do fundo gerido pela Popular Gestão de Activos, vai para um depósito à ordem no Banco Popular, seguido de Papel Comercial da cotada nacional F. Ramada. Encontramos ainda dívida corporativa da Caixa Geral de Depósitos e da Coca-Cola, além de dívida soberana italiana.

Logo depois, com uma rendibilidade de 0,34% surge o segundo maior produto do segmento. Trata-se do Santander Multitesouraria gerido pela Santander Asset Management. No final de setembro o seu património ascendia a mais de 116 milhões de euros em património, com as maiores posições em carteira a irem para depósitos a prazo. Ainda assim, segundo a carteira presente no portal Morningstar, encontramos 44 títulos de dívida na carteira, com uma representação de quase 55% do total investido.

O Montepio Tesouraria, da Montepio Gestão de Activos, encerra o top3 dos fundos de curto prazo mais rentáveis em 2015, até ao dia 9 de outubro. Nesse período a sua rendibilidade é de 0,20% e tem um património superior a 60 milhões de euros, o que faz dele também o terceiro maior produto do seu segmento. Nos maiores investimento encontramos dívida corporativa da Caixa Geral de Depósitos e da Intesa Sanpaolo, além de depósitos à ordem e a prazo em algumas instituições financeiras nacionais.

Os fundos de curto prazo em 2015

FundoGestora Ativos sob gestão *  Rendibilidade 2015 (%)
Popular Tesouraria Popular Gestão de Activos 15,39 €0,437
Santander MultiTesouraria Santander Asset Management 116,80 €0,343
Montepio Tesouraria Montepio Gestão de Activos 60,94 €0,207
NB Tesouraria AtivaGNB Gestão de Ativos 53,27 €0,102
Banco BIC Tesouraria Categoria ADunas Capital 50,66 €0,078
BPI Liquidez BPI Gestão de Activos 423,64 €0,037
Millennium Liquidez Millennium Gestão de Activos 44,32 €0,006
Patris Tesouraria Patris Gestão de Activos 7,51 €-0,770
Fonte: APFIPP no fia 9 de outubro. * Valores em milhões de euros.
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos