Perspectivas económicas para Europa do Norte: mudança de marcha


Os países nórdicos ainda estão em vários estágios do cliclo econômica. Helge J. Pedersen, economista-chefe da Nordea, salienta que as economias nórdicas registrarão no seu conjunto um crescimento de 1,6% este ano e 1,9% em 2015, bem acima das estimativas para a economia da zona do euro, que será de 1,2% em 2014 e 1,5% em 2015. "Estas boas previsões, a par de umas finanças públicas sólidas, voltam a posicionar os países nórdicos como refúgios seguro entre os mercados financeiros", disse o especialista no último relatório publicado pela entidade. 

No geral, a Noruega ea Suécia estão a progredir bem, enquanto a Dinamarca continua a sua tendência ascendente. A Finlândia, no entanto, está a encontrar dificuldades para superar a crise econômica e volta sentir a ameaça da recessão. 

A gestora faz uma análise por país: no caso da Suécia, Pedersen revela que o aumento da procura é o factor que está a impulsionar a economia. "Apesar da política monetária expansionista, o desemprego permanece elevado e a inflação continua baixa. Por isso resta esperar que o Banco mantenha as taxas de juro nos 0,5%", refere o economista-chefe da Nordea.

Quanto à Noruega, a economia está a registar melhores resultados do que o inicialmente esperado. "O mercado imobiliário está a recuperar-se e os bancos estão a melhorar as condições de acesso ao crédito."No entanto, conforme descrito pela entidade, a recuperação económica continuará a ser lenta, em grande parte, porque o volume de investimento é baixo. 

Na Dinamarca, as reformas económicas parecem estar a dar frutos e avizinha-se uma melhoria moderada da economia. 

Quanto à Finlândia, "ainda está a encontrar dificuldades para superar a crise económica que afeta o país".

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos