Para quando o fim da correção do mercado?


Depois da agitação nos Emergentes nas últimas semanas, os mercados estiverem a “digerir” todas essas mudanças. Impõe-se saber se está ou não para breve o fim da correção do mercado. Conheça a opinião de dois profissionais do sector.

 

Para José Barroso, 
Gestor de Ativos, do Popular Gestão de Activos, a semana passada “poderá ter sido o pontapé de saída para a inversão da recente tendência nos mercados”. O especialista explica que “por um lado, existiu uma aparente acalmia com a preocupação da possível falta de liquidez nos mercados emergentes”. Por outro lado, a semana terminou com os seguintes drivers: “os valores da apresentação de resultados das empresas e a forma como os mesmos ficaram acima ou abaixo do que era esperado pelos analistas; e os dados macroeconómicos, que no caso da Europa ficaram acima do esperado, por exemplo o valor do PIB, um bom sinal para a Zona Euro. Já nos EUA, os valores macroeconómicos foram menos animadores, com as vendas a retalho e os pedidos subsídio de desemprego a ficarem inesperadamente abaixo do previsto”. José Barroso indica que como consequência destes dados “as bolsas norte-americanas tiveram uma semana menos positiva do que as principais bolsas do Velho Continente”.

 

Na mesma linha de pensamento, Rui Bárbara, gestor de ativos do Banco Carregosa, também indica que na semana passada os “os índices de acções já recuperaram e já ficaram positivos no ano”. O especialista lembra que “foi uma boa semana para os mercados financeiros, quer nas ações, quer nas obrigações”. No entanto, Rui Bárbara alerta que o que vai acontecer em 2014 vai depender de dois factores: “saber se a crise das economias emergentes é um caso isolado ou sistémico, como aconteceu em 1998, e a evolução das taxas de juro nos EUA.

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos