Para onde se dirigiu o apetite dos investidores de ETPs em outubro?


O dinheiro continua a fluir em direção aos produtos de gestão passiva. Durante o mês de outubro em concreto registaram-se fluxos de 36.200 milhões de dólares na indústria global de ETP, tal como indica a última edição do relatório ETP Landscape elaborado pela BlackRock mensalmente.

Desde o início do ano entraram 271.000 milhões de dólares em ETP, uma soma que já ultrapassou, de longe, a registada em todo o ano de 2014 (239.000 milhões), “o que aponta para um sólido aumento dos ETP como veículo de investimento preferido entre os investidores à escala mundial”, observam da BlackRock.

Os produtos mais procurados são precedentes das categorias de obrigações, ações norte-americanas e ações emergentes. Da gestora indicam que esta procura esteve guiada principalmente pela decisão da Fed de não subir as taxas de juro em setembro. “A predisposição ao risco que suscitou este facto fez com que os produtos cotados de ações norte-americanas alcançassem o maior volume de investimento, de 10.300 milhões de dólares”, observam os autores do relatório.

Os ETP de ações norte-americanos captaram 10.300 milhões de dólares por dois motivos:  por causa do rally da bolsa depois da publicação dos sólidos lucros no sector tecnológico, e pelo incremento da atividade de fusões e aquisições. Embora as subscrições em ETPs de ações emergentes tenham sido mais modestas, de 4.600 milhões de euros, serviram para quebrar uma série de quatro meses consecutivos de resgates.

Record nas obrigações

No entanto, a categoria com mais fluxos de entrada no seu conjunto foi a de obrigações, com 14.700 milhões de dólares, que se dirigiram principalmente a produtos de dívida corporativa com durações intermédias e longas. Assim, os fundos que investem em  dívida investmet grade e high yield atraíram 6.100 milhões e 4.400 milhões, respetivamente. “Em particular, os fluxos para as obrigações corporativas com grau de investimento foram consistentes ao longo do ano e os fluxos no resto do ano já estão bastantes acima dos registados em 2014”, indicam da entidade.

Por outro lado, verificaram-se  resgates nos ETP que investem em treasuries, especialmente nos de curta duração, que ascenderam a 1.200 milhões de euros “impulsionados pela percepção de que taxas mais altas são menos eminentes”. Apesar disso, o mês de outubro marcou um ponto record para os ETP de obrigações no seu conjunto, já que a classe de ativos superou os 500.000 milhões de euros em património pela primeira vez na sua história, “o que evidencia o crescimento deste tipo de produtos e o seu maior uso por parte dos investidores”, comentam da BlackRock .

Negócio na Europa

O último dado destacado do relatório ETP Landscape de outubro tem a ver com os produtos cotados domiciliados na Europa, que registaram fluxos de entrada no mês de 7.300 milhões de dólares, e que impulsionaram o capital total investido neste segmento desde o início do ano para um máximo histórico de 69.000 milhões de dólares. Desta forma, é ultrapassado o anterior record, estabelecido em 2014, de 62.000 milhões de dólares. Da BlackRock indicam que o total de ativos geridos pelos ETP europeus se situa atualmente num nível record de 516.300 milhões de dólares.

Ursula Marchioni, diretora de estratégia da iShares para a região EMEA, assinalou que as tendências na Europa estiveram em linha com as mundiais salvo por nalgumas exceções: “O investimento registado em outubro pelos ETPs europeus viu-se impulsionado pelos produtos de obrigações (3.700 milhões de dólares), que superaram os de ações (3.300 milhões). Os ETP de dívida corporativa registaram uma sólida procura, tanto para o segmento investment grade como para o de high yield, que registaram um investimento de 1.120 milhões de dólares e 832 milhões, respetivamente. Isto deve-se à procura constante de rentabilidade provocada pelas políticas do BCE e, contrariamente à tendência mundial, não foi desfavorável para os produtos cotados de dívida pública, que também registaram uma robusta procura (1.170 milhões de dólares), detalha a especialista. Esta acrescenta que os ETP de ações norte-americanas registaram saídas no valor de 283.000 milhões de dólares, “já que os investidores se centraram mais nos produtos europeus dos seus respetivos mercados nacionais e nos de ações emergentes”.

Aitor Jauregui, responsável de desenvolvimento de negócio da BlackRock para Portugal, Espanha e Andorra, assinala que “a  gestão passiva se está a converter nos últimos anos numa das ferramentas de investimento mais usadas nos momentos de stress dos mercados, já que atuam como fonte de liquidez. Dá como exemplo os fluxos que se têm dirigido às obrigações, que na sua opinião “se explicam numa boa parte pela volatilidade vivida em todos os mercados”.        

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos