Os últimos dois anos dos três fundos monetários existentes em Portugal


Caixagest Liquidez da CaixagestCA Monetário da CA Gest e ainda Montepio Monetário Curto Prazo da Montepio Gestão de Activos: são estes os três produtos que a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP) considera como fundos do mercado monetário. De acordo com a Associação, os produtos que se inserem neste segmento são aqueles que “investem exclusivamente em instrumentos do mercado monetário e depósitos bancários de qualidade elevada, unidades de participação de Fundos do Mercado Monetário Curto Prazo e de Fundos do Mercado Monetário”.

Nos últimos dois anos têm sido diversos os desafios para os gestores que comandam os fundos de investimento desta categoria, nomeadamente o ambiente de taxas de juro baixas. Em entrevista recente à Funds People Portugal, alguns profissionais realçam precisamente esses aspectos. Paulo Duarte da BPI Gestão de Activos acredita que o desafio principal na gestão dos fundos de mercado monetário é “manter os perfis de elevada liquidez”. Por outro lado, Amit Maugi da equipa de obrigações da GNB Gestão de Ativos destaca que perante o contexto de taxas de juro atual é importante que os fundos “apresentem uma estrutura de custos e de comissionamento atrativa/competitiva para o cliente de forma a perspectivar uma rendibilidade interessante para o cliente em termos do binómio risco/retorno”.

CA Monetário lidera o grupo

Nos últimos dois anos, à data de 23 de outubro, os fundos do mercado monetário registam uma rendibilidade média anualizada de 0,57% segundo os dados da APFIPP. Dos três produtos, aquele que apresenta melhor comportamento é o CA Monetário. Gerido por Fernando Nascimento da CA Gest, o fundo atinge uma valorização de 0,959%. Com mais de 130 milhões de euros em património, o produto tem em carteira alguns depósitos a prazo em instituições nacionais como a Caixa Geral de Depósitos ou o Millennium BCP. Este tipo de aplicações representam a maior parte da carteira dos fundos monetários e Fernando Nascimento sublinha mesmo que o facto da remuneração dos depósitos ter sofrido uma “redução dramática, penalizou severamente a rendibilidade da classe”.

O gestor afirmou, ainda, à Funds People que os produtos do mercado monetário “enfrentam desafios imensos para devolver aos participantes uma rendibilidade competitiva face à tradicional aplicação alternativa, que são os depósitos a prazo”.

Com uma rendibilidade de 0,5% figura o Caixagest Liquidez. Este fundo, gerido pela Caixagest, é o maior produto do mercado nacional. No final de setembro o seu património ascendia a mais de 1.472 milhões de euros com os maiores investimento em carteira a para depósitos a prazo junto de instituições nacionais como o Banco BIC ou o Millennium BCP. Este fundo é, também, aquele que consegue ter maior volume de captações líquidas em 2015, com mais de 270 milhões de euros.

Já o produto da Montepio Gestão de Activos, o Montepio Monetário de Curto Prazo, atinge uma rendibilidade de 0,26%. Tal como nos produtos anteriores, os depósitos são a componente com maior peso na carteira, que soma mais de 16 milhões de euros.

Os fundos do mercado monetários nos últimos dois anos

FundoGestoraRendibilidade 2 anos (%)
CA MonetárioCA Gest0,959
Caixagest LiquidezCaixagest0,502
Montepio Monetário de Curto PrazoMontepio Gestão de Activos0,267
Fonte: APFIPP no dia 23 de outubro
Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos