Os temas de investimento de onde os investidores “saltaram” no final de 2015


Mais estratégicos do que em qualquer outro mês de 2015. Assim foi o comportamento, em dezembro, dos investidores das plataformas que distribuem fundos de investimento estrangeiros. No mês em causa optaram por sair das estratégias que consideraram menos favoráveis para o ano de 2016, mas também de temas que foram causando incertezas na recta final de 2015. 

É nesse sentido que Isabel Soares, gestora de produto do BiG, salienta que “no decorrer do mês de dezembro, os investidores parecem ter apostado no rebalanceamento das suas carteiras”. Num novo ano que se espera “desafiante em termos de procura de retorno e propenso a cenários de elevada volatilidade”, a profissional indica que se tem visto uma “preocupação com o reajustamento das exposições e riscos das carteiras”.

No caso do ActivoBank, João Graça  também declara uma tendência de resgates no mesmo sentido. Destaca os “fundos de mercados emergentes que continuam a causar incerteza aos investidores e algumas tomadas de mais valias em fundos de obrigações da Zona Euro”.

No Banco Best, por sua vez, em dezembro, aconteceram resgates “em fundos de liquidez, e em menor escala, fundos de high yield”, afirma Rui Castro Pacheco, head of asset management da entidade.

No BiG, os “principais outflows verificaram-se em fundos de investimento com estratégias mais direccionais (nomeadamente em produtos com enfoque sectorial)”

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos