Tags: Pensões |

Os melhores Fundos Poupança Reforma no último ano


Para além das melhores rentabilidades dos fundos de pensões abertos, a APFIPP também elabora um ranking com os melhores resultados referentes aos melhores Fundos de Poupança Reforma. No top5 que a Associação elabora dão conta dos cinco melhores retornos no último ano.

O líder nesta análise denomina-se de Santander Poupança Prudente FPR, é gerido pela Santander Asset Management e apresenta um retorno de 3,4%. O produto apresenta um volume sob gestão de 118,4 milhões de euros e, segundo a política de investimento do produto, este está vocacionada para o investimento em obrigações diversas, títulos de dívida pública,  outros instrumentos representativos de dívida, unidades de participação de fundos de investimento mobiliário, imobiliário, e de capital de risco, assim como em ações.

Segue-se o BBVA Solidez PPR, que apresenta 1,7% de retorno. O produto gerido pela BBVA Fundos, destina-se “a investidores com uma tolerância ao risco baixa, que apresentem fundamentalmente expectativa de preservação do capital investido”. O produto aloca, em termos centrais, 70% a Dívida Pública EMU e OCDE, 20% a dívida privada, 10% a liquidez e dívida de curto prazo. Apresenta um montante sob gestão de 16,9 milhões de euros.

O PPR SGF Garantido +, gerido pela SGF, e o PPR BIG Taxa Plus, da Futuro, são os produtos que se seguem. O primeiro figura com um retorno de 1,5%, enquanto o segundo alcança, no último ano, uma rentabilidade de 0,8%.

A fechar o top5 elaborado pela Associação, destaque para o BPI Reforma Segura PPR, da BPI Gestão de Activos, que alcança 0,7% de rentabilidade no último ano, e se afigura como o maior dos cinco produtos em causa, com 470 milhões de euros de ativos sob gestão.

O reinado do Invest AR PPR

Embora não esteja no radar de análise da APFIPP, importa salientar aquele que é um dos fundos PPR mais destacados do mercado nacional. O Invest AR PPR, gerido pela Invest Gestão de Activos, consegue no último ano um retorno de cerca de 6%, segundo os dados disponibilizados pela Morningstar Direct.

Na Revista Funds People Portugal número 13, Paulo Monteiro, da equipa gestora do fundo, indicava em entrevista que o fundo investe “apenas em ativos muito líquidos”, o que faz com que não existam “restrições ao nível da sua capacidade”.

Nota: Estes resultados são brutos de impostos e não consideram comissões de subscrição e resgate, bem como outras comissões e encargos eventualmente suportados diretamente pelos participantes, que variam de acordo com as condições estabelecidas no regulamento de gestão de cada Fundo.
 
Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos