Os melhores fundos de obrigações de 2015


Nos primeiros dias de janeiro é hora de fazer a análise para o ano que terminou. Os 365 dias que compõem o ano civil foram marcados por algumas ocorrências que fizeram balançar os mercados financeiros nacionais e internacionais. Depois de alguns anos onde as obrigações dominaram o mercado, 2015 trouxe uma nova realidade para esta classe de ativos. A Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – segmenta os fundos de obrigações em três categorias, consoante a sua política de investimento: Obrigações Taxa Indexada, Obrigações Euro e ainda as Obrigações Internacionais.

Foi precisamente na categoria de ‘obrigações euro’ que foi registada a maior rendibilidade entre os fundos de obrigações. Trata-se do NB Obrigações Europa que é gerido por Vasco Teles da GNB Gestão de Ativos. Em 2015 a sua rendibilidade atingiu os 4,41% tendo fechado o ano com um património superior a 26 milhões de euros. É um produto com classificação quantitativa máxima por parte da Morningstar e nos maiores investimentos em carteira encontramos dívida soberana de países como Itália, Alemanha ou Espanha. No último relatório publicado pela entidade gestora, referente ao mês de novembro, era referido alguns factores que ajudaram o produto, nomeadamente a sua “exposição à periferia, às obrigações indexadas à inflação em euro e em usd” e ainda a sua “exposição ao dólar”.

Destaque, ainda, para mais dois produtos nesta categoria: o Montepio Taxa Fixa e ainda o Santander Multi Taxa Fixa. O primeiro é da responsabilidade da Montepio Gestão de Activos e atingiu ganhos de 2,88% durante o ano passado. Já o segundo é da Santander Asset Management e conseguiu atingir uma valorização de 1,71%.

CA Rendimento: o mais rentável do seu segmento

Analisando os fundos de ‘obrigações de taxa indexada euro’, verificamos que o CA Rendimento foi aquele que mais se destacou durante o ano passado. Em 2015 a sua rendibilidade atingiu 1,93% e no final de novembro geria um património superior a 185 milhões de euros. Gerido por Fernando Nascimento, da CA Gest, o fundo tem como maior investimento em carteira títulos de dívida pública espanhola, sendo seguido por obrigações da Tagus. Note-se, ainda, que no decorrer de 2015 o produto recebeu a distinção nos prémios Diário Económico/APFIPP de melhor fundo de obrigações de taxa indexada”.

Dentro deste segmento, destaque para mais dois produtos. Com uma rendibilidade de 1,66% vem o Montepio Obrigações da Montepio Gestão de Activos, seguido do Caixagest Obrigações da Caixagest com 0,47% de ganhos em 2015.

Optimize Europa Obrigações lidera

Relativamente à outra categoria – Obrigações Internacionais – destaque para o Optimize Europa Obrigações. Gerido pela Optimize Investment Partners o fundo registou uma rendibilidade de 3% durante o ano passado. Com mais de 12 milhões de euros o produto investe em dívida soberana de países como Itália ou Polónia, além de títulos de divida corporativos de empresas como a NOS ou a Telefonica.

Os fundos de obrigações com rendibilidade positiva em 2015

Fonte: APFIPP no final de 2015

 

Profissionais
Empresas

Próximos eventos