Os fundos de obrigações que ultrapassam 1% de retorno nos 7 meses já decorridos do ano


Dos mais de 50 fundos que a Morningstar considera como sendo de ‘fixed income’, de janeiro a julho, apenas dez fundos conseguem um retorno superior a 1%.

Os dois ‘taxa fixa euro’ que se agigantam

Nesse rol de 10 fundos há dois que se destacam dos restantes. Falamos, em primeiro lugar, do NB Obrigações Europa, gerido pela GNB Gestão de Ativos e cargo do reconhecido gestor Vasco Teles. O fundo nestes sete meses consegue um retorno muito próximo de 8%, e é um dos fundos com a classificação quantitativa máxima atribuída pela Morningstar, ou seja, com cinco estrelas. Na ficha de produto de julho, Vasco Teles comentava que no mês em questão o fundo foi ajudado pela exposição “a taxa core europeia” e “periferia”. Em sentido contrário, foi a “componente de inflação do fundo", que "impediu uma performance mais forte da carteira”.

O Optimize Europa Obrigações, tal como o produto anterior, é um fundo de obrigações taxa fixa euro, que se segue apesar de no período em análise arrecadar uma rentabilidade ligeiramente inferior: 6,17%. Em carteira, segundo a página online da Morningstar, nas maiores posições da carteira estão dívida governamental portuguesa, polaca e italiana.

Produtos distintos no resto do ranking

O BPI Alto Rendimento Alto Risco, da BPI Gestão de Ativos, alcança nos meses decorridos até julho um retorno de 3,23%. Tal como o nome do fundo indica, este produto investe em “títulos de dívida ou equiparados, os quais, pelo risco de crédito dos seus emitentes ou dos mercados em que estão cotados, proporcionem expectativas de rentabilidade superiores a médio e longo prazo”. Concretamente no mês de julho, o fundo beneficiou, segundo a ficha de produto, de uma emissão da empresa espanhola OHL, que “foi um dos maiores contributos para a performance positiva do fundo”. Explicam que “a empresa de construção e concessões espanhola planeia fazer um aumento de capital de 1000 milhões de euros e vender cerca de 250 milhões de euros de ativos”. No final de julho o fundo tinha 13,58 milhões de euros de ativos sob gestão.

O Montepio Taxa Fixa, gerido pela Montepio Gestão e Activos, aproxima-se muito dos 3% de retorno no período referido. Com 2,57% de ganhos, o fundo gerido pela Montepio Gestão de Activos, tem nas cinco maiores posições dívida de Portugal e também de Espanha. Uma das novidades referentes a este fundo no mês de julho, prende-se com a sua entrada na lista de fundos cinco estrelas, assim considerados pela empresa de análise Morningtar.

Mais um fundo cinco estrelas impõe-se nesta lista: o CA Rendimento, da CA Gest, com 2,53% de ganhos. O fundo, gerido por Fernando Nascimento, é um dos maiores fundos do mercado nacional, e no portfólio tem, segundo a página da Morningstar, dívida da Abbey National, dívida italiana e ainda da Tagus Sociedade.

Ainda na casa dos 2% de retorno, assinala-se mais um fundo: o BPI Obrigações, com 2,13% de retorno.

Na tabela abaixo conheça os restantes fundos ‘fixed income’ que conseguem retorno superior a 1%  de janeiro a julho. 

FundoGestoraRentabildiade de janeiro a julho (%)
NB Obrigações EuropaGNB Gestão de Ativos7,97
Optimize Europa Obrigações Optimize Investment Partners6,17
BPI Alto Rendimento Alto Risco BPI Gestão de Activos3,23
Montepio Taxa Fixa Montepio Gestão de Activos 2,57
CA Rendimento Crédito Agrícola Gest 2,53
BPI Obrigações Mundiais BPI Gestão de Activos 2,13
NB Rendimento Plus GNB Gestão de Ativos 1,85
Caixagest Oportunidades Caixagest1,85
Montepio Obrigações Montepio Gestão de Activos 1,54
Santander Multitaxa Fixa Santander Asset Management 1,22
Fonte: Morningstar, 31 de jullho
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos