Os fundos de alocação em julho


No primeiro mês do segundo semestre, os fundos de investimento que compõem o mercado nacional somaram uma rendibilidade média de 0,81%, segundo os dados disponibilizados pela Morningstar através da sua plataforma online. Analisando apenas os fundos alocação, verificamos que as cerca de seis dezenas de produtos desta categoria registam uma rendibilidade média de 0,42%.

Entre os fundos de alocação que fazem parte do mercado nacional, aquele que apresentou melhor performance em julho foi o Invest AR PPR. O fundo que é gerido pela Invest Gestão de Activos fechou o mês passado com uma rendibilidade de 4,29% e está entre os fundos nacionais que superam os 10% de valorização nos primeiros sete meses do ano, com uma subida próxima dos 12%. De realçar ainda que o produto tem vindo a apresentar a classificação máxima no rating quantitativo da Morningstar ao longo dos últimos meses. O fundo tem mais de 6 milhões de euros em património, com as maiores posições em carteira a pertencerem a títulos de dívida pública de países como Portugal e Espanha.

Com uma rendibilidade de 2,94% surge, logo de seguida, o Optimize Investimento Activo. Este fundo, que está sob responsabilidade da Optimize Investment Partners, tem mais de 11 milhões de euros em ativos sob gestão, com o maior investimento da carteira a ser o iShares Euro Government Bond 1-3y, gerido pela iShares,e que foi eleito o Melhor Fundo Estrangeiro de Obrigações Curto Prazo Euro nos últimos Morningstar Awards. Além deste ETF, também encontramos na carteira as cotadas Sanofi, Exxon Mobil e a Airbus.

Já o terceiro produto mais rentável em julho, dentro desta categoria, é o Santander Multiactivos 20-60 com uma rendibilidade de 2,63%. Sob gestão da Santander Asset Management, este produto tem em património cerca de seis milhões de euros com a maior posições a pertencer a um futuro sobre o Euro Stoxx 50. Entre os maiores investimentos encontramos, também, dívida soberana de Espanha e alguns ETF como o Amundi ETF Euro Stoxx 50 que faz parte da Amundi.

Com ganhos de 2,40% em julho figura o Dunas Banco BIC Investimento. No final de junho o fundo gerido pela Dunas Capital tinha em carteira mais de 9 milhões de euros com a dívida pública nacional a ser o maior investimento do produto. Além de Portugal, encontramos dívida pública de países como Itália e Espanha nas maiores posições, além de ETF que seguem alguns dos índices europeus como o Dax ou o Ibex 35.

Existem, ainda, mais dois produtos que superam os 2% de rendibilidade em julho e que são classificados como “alocação” por parte da empresa de análise: o NB PPR e ainda o Montepio Global.

O primeiro é gerido por David Dias da GNB Gestão de Ativos. Em julho o fundo registou uma rendibilidade de 2,26% tendo quase 15 milhões de euros sob gestão com a dívida governamental  de países como Itália, Portugal, Alemanha, França ou Chipre a dominarem as maiores posições do produto.

Já o produto da Montepio Gestão de Activos tem mais de 5 milhões de euros em património e em julho atingiu uma valorização de 2,11%. Entre as maiores posições encontramos dívida corporativa, governamental e algumas cotadas globais.

Os 10 fundos de alocação com melhor desempenho em julho

FundoGestoraRendibilidade Julho (%)
Invest AR PPRInvest Gestão de Activos4,29
Optimize Investimento ActivoOptimize Investment Partners2,94
Santander Multiactivos 20-60Santander Asset Management2,63
Dunas Banco BIC InvestimentosDunas Capital - Gestão de Activos2,40
NB PPRGNB Gestão de Ativos2,26
Montepio GlobalMontepio Gestão de Activos2,11
Optimize Cap Ref PPR AcçõesOptimize Investment Partners1,98
Optimize Cap Ref PPR EquilibradoOptimize Investment Partners1,92
Optimize Cap Ref PPR ModeradoOptimize Investment Partners1,78
Millennium Prestige ValorizaçaoMillennium Gestão de Activos1,60
Fonte: Morningstar no final de julho
Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos