Tags: Negócio | ETF |

O top 15 das maiores gestoras transfronteiriças de ETFs


Claramente, os ETFs têm vivido nos últimos anos uma fase de apogeu. Os ativos sob gestão conjuntos dos ETFs e ETPs alcançaram um record de 3 biliões de euros no final de maio de 2015.

Ao mesmo tempo, os ativos sob gestão dos ETFs com domicílio na União Europeia cresceram cerca de 45,8%, dos 288,3 mil milhões de euros em março de 2014 para os 420,2 mil milhões em março de 2015. “As mudanças no ambiente regulatório na Europa continuam a produzir oportunidades que favorecem as empresas com expertise local”, escreve a PwC, que como já é habitual voltou a elaborar uma “fotografia” relativa à distribuição e negociação dos ETFs em todo o mundo. Escrevem mesmo que “a capacidade de transformar os ETFs em soluções efetivas que respondam às necessidades especificas de cada segmento de investidores continua a ser um factor particularmente importante no sucesso competitivo”.

Os dados da consultora mostram que no final de março passado a Irlanda era o país de domicílio de ETFs com mais ativos sob gestão, atingindo, concretamente, os 222,3 mil milhões de património gerido. Seguia-se o Luxemburgo, com 81,2 mil milhões de montante gerido no que toca aos produtos cotados, ao passo que a França, no terceiro lugar deste ranking, alcançava um património de 65,1 milhões do euros de montante gerido.

O Top 15 das entidades transfronteiriças

Quando se olha para as 15 entidades transfronteiriças que assumem as rédeas da distribuição de ETFs são algumas as conclusões a apontar. A db X-trackers (Deutsche AWM) é a entidade que mais brilha ao fazer a distribuição de ETFs para 23 países distintos.  É a praça luxemburguesa o  principal destino escolhido pela entidade para domiciliar os seus ETFs, que são depois distribuídos por 20 países do mundo. O segundo destino que a casa gestora privilegia para domiciliar os seus produtos é a Irlanda, e é a partir desta reconhecida praça financeira que a casa distribui produtos para 14 países. O terceiro destino de eleição para domiciliar os fundos cotados é Jersey. Salienta-se que a casa distribui ETFs em vários países da Europa, mas, contrariamente a outros grupos, tem também uma forte presença na Ásia Pacífico. (ver tabela abaixo)

A BlackRock – entidade da qual faz parte a iShares - distribui os seus ETFs em 22 países do mundo. Contrariamente à entidade antecessora, o primeiro destino de eleição para domiciliar os ETFs é a Irlanda, a partir de onde distribui produtos cotados para 19 países. O segundo destino eleito para registo dos produtos é Alemanha, a partir de onde fazem a distribuição para 13 países.  Para além da Europa, no caso da BlackRock denota-se uma ‘presença’ marcante na América Latina, fazendo distribuição de ETFs no Chile, México e Peru.

A ETF Securities fecha o top 3 de grupos gestores com mais dimensão neste negócio. Em termos globais a gestora distribui para 18 países, situados essencialmente na Europa. A praça financeira privilegiada pela entidade para o domícilio das estratégias é Jersey, a partir de onde fazem a distribuição para 14 países. O segundo país onde mais registos efetuam é a Irlanda.

Conheça o restante ranking abaixo. 

 

(Consulte aqui a tabela numa dimensão superior)

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos