O que vai acontecer de acordo com a Pioneer Investments


O mundo tornou-se mais instável, desde do início da crise financeira e as razões para a instabilidade não vão desaparecer tão cedo. Para Giordano Lombardo (na foto), Group Chief Investment Officer da Pioneer, na carta em que partilha a sua opinião sobre a economia global, mercados financeiros e investimento, o primeiro ponto a ser debatido nos próximos tempos tem a ver com a flexibilização quantitativa do FED, isto é, o que vai acontecer aos mercados acionistas quando as taxas de juros começarem a subir, visto que actualmente se encontram em mínimos históricos no mercado norte-americano.

Para o CIO da Pioneer Investments, deve-se olhar, também, para as obrigações de uma maneira diferente, mais flexível em todos os aspectos. Deve começar a ter-se mais em conta a taxa de juro e o risco de crédito para que o futuro não seja comprometido e para que os retornos sejam maiores para os investidores. Este será certamente um dos fatores que poderá mudar nas obrigações.

Também a China tem apresentado indicadores que mostram o seu abrandamento económico, onde o risco de reformas estruturais começa a aumentar. As perspetivas da casa de investimento para a China situam-se em crescimentos de 5% para este ano e de 5,5% para 2014, o que é mais baixo do que a média dos últimos 10 anos que se situou nos 6,5%. No entanto, o abrandamento do crescimento do PIB não é apenas um facto da China, mas também uma situação que vai acontecer na maioria dos países emergentes.

Anexos

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos