Tags: Estilo |

O que pode ver no MUDE?


O MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo apresenta duas exposições sobre a cultura e o design nipónico: Boro – Um Tecido de Vida (Fabric of Life) e Puras Formas (Naked Shapes). 

Ambas abordam questões muito atuais, como a preservação dos recursos materiais, o respeito pela natureza, a reutilização ou transformação dos materiais e a duração de vida de cada produto.

A exposição "Boro"Um Tecido de Vida apresenta 54 peças (quimonos, bolsas, tatamis) elaboradas através do método Boro. “Boro” significa farrapo e consiste em cerzir tecidos diferentes, tingindo, posteriormente, as peças têxteis em índigo. Esta foi uma técnica corrente no Japão desde o final do século XVIII até meados do século XX. Os têxteis Boro espalharam-se por todo o Japão, durante cerca de 200 anos, já que a estrutura socioeconómica manteve-se inalterada até ao início do século XX.

Estas peças eram raramente em algodão, pois este material destinava-se a classes mais abastadas. As peças Boro eram tecidas a partir de plantas autóctones como o cânhamo, rami, amoreira de papel, glicínia e urtiga. Os camponeses compravam retalhos e roupas usadas transformavam-nas em peças únicas japoneses de forma a obter têxteis mais resistentes.

A exposição "Puras Formas" mostra 200 objetos destinados à cozinha, eletrodomésticos, mobiliário, brinquedos, em alumínio, fabricados no Japão entre 1910 e 1960. O alumínio foi considerado o material moderno do século XX e teve o seu apogeu durante a II Guerra Mundial. No início da Guerra, todos os materiais se esgotaram rapidamente e o alumínio torna-se o material de escolha para o fabrico de aviões de guerra, armas e frota naval. Este material era facilmente trabalhável, bem como reciclado e transformado.

As duas mostras podem ser vistas no piso 1, até dia 8 de fevereiro.

Próximos eventos