O fundo mais rentável do mercado nacional nos primeiros dez meses de 2015 é...


Foram vários os acontecimentos que marcaram os primeiros dez meses do ano. Desde o lançamento do programa de Quantitive Easing por parte do Banco Central Europeu, passando pelos problemas na China e na Grécia... são portanto algumas as vicissitudes que têm mudado o “humor” dos mercados financeiros.

De acordo com os dados disponibilizados pela Morningstar, através da sua plataforma online, os fundos de investimento em Portugal somam uma rendibilidade média em 2015 de 2,68%.

No mesmo período o PSI-20, principal índice bolsista nacional, atinge uma rendibilidade de 14%. Esta valorização da bolsa nacional ajudou a que o Millennium Acções Portugal fosse o camisola amarela no período em análise. Gerido por Nuno Marques da Millennium Gestão de Activos, o fundo atinge ganhos de 18,99% nos primeiros dez meses de 2015. Com cerca de 30 milhões de euros em património, no final de setembro os maiores investimentos em carteira recaiam na NOS, na Sonae SGPS, no BCP e na Portucel, além do investimento num futuro sobre o PSI-20. Na última revista publicada pela Funds People Portugal, Nuno Marques destacava alguns factores na hora de escolher uma empresa para a sua carteira, como por exemplo a “liquidez transacional e o free float”, além de outros factores de seleção, como  as “especificidades operacionais de cada empresa que se refletem nos resultados”, e ainda a “qualidade do balanço”.

Com os olhos focados no país do sol nascente surge, na segunda posição dos mais rentáveis do ano, o Caixagest Acções Japão. A sua rendibilidade é de 17,68% e gere mais de 16 milhões de euros, com o foco a ser exclusivamente o Japão. Este fundo, gerido pela Caixagest, tem em carteira posições da parte financeira da Mitsubishi, da Yamaha e da Sony. Foi o segundo produto com melhor desempenho em outubro e ocupou a liderança entre os melhores fundos a doze meses no ranking semanal da APFIPP durante algumas semanas de 2015.

O top3 é fechado com mais um fundo, à semelhança do líder, que investe no mercado nacional: o BPI Poupança Acções da BPI Gestão de Activos. O produto faz parte da categoria de Fundos Poupança Ações (FPA) da APFIPP, que segundo a associação integra “fundos que financiam Planos Poupança em Acções (PPA) de acordo com o Decreto-Lei n.º 204/95, de 5 de Agosto”, ou seja, apenas podem investir em “acções e títulos de participação cotados em bolsa de valores nacional” entre outros ativos financeiros. Desta forma o core do investimento é o mercado português.

Com mais de 17% de rendibilidade em 2015 figura, ainda, mais um produto: o Montepio Euro Telcos.  O fundo é da responsabilidade da Montepio Gestão de Activos e regista ganhos de 17,31%. Trata-se de um fundo de ações sectoriais, com o investimento a recair sobre o sector das telecomunicações. Tem cerca de 7 milhões de euros em património e os maiores investimentos realizados são em cotadas de referência no sector, a nível europeu, como é o caso da Deutsche Telekom, da Vodafone e da Orange.

Os fundos com rendibilidade superior a 10% em 2015

Fonte: Morningstar no final de outubro
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos