O ‘empurrão’ que foi dado à Europa


O início do ano tem sido favorável para os produtos que se inserem na categoria APFIPP “Fundos de Acções da União Europeia, Suíça e Noruega”. As informações da Associação com data de 27 de fevereiro de 2015, indicam que desde que o ano arrancou todos os fundos que compõe o grupo, conseguem um retorno positivo, que, em média, é de 10,68%.

Contas feitas, no período analisado, são uma dúzia de fundos que conseguem alcançar uma rentabilidade superior a 10%. Olhando para os resultados, pode mesmo referir-se que o anúncio realizado por Mario Draghi, a 22 de janeiro, sobre o início do QE europeu, foi uma notícia importante para esta categoria de fundos, mas também para outros fundos que “lucraram” precisamente desde que este evento foi veiculado.

Retornos acima de 11% nos 5 lugares cimeiros

O vencedor destacado neste ‘rol’ de fundos é o Montepio Acções. Um fundo que, segundo o site da Montepio Gestão de Activos, “detém em permanência mais de 2/3 do seu valor líquido global numa carteira diversificada de ações, com uma exposição de 50/50 entre os mercados Português e da Zona Euro”. Os ganhos do produto desde que o ano teve começo são de 12,13% e, segundo a página da Morningstar, das cinco maiores posições encontram-se apenas títulos nacionais: EDP, Jerónimo Martins, Galp Energia, BCP e CTT.

Precisamente com o mesmo valor de retorno aparecem dois fundos da Caixagest. O Postal Acções e o Caixagest Acções Europa, que entregaram 11,93% de rentabilidade desde que se “pôs o pé” em 2015.

Logo em seguida é a vez de aparecer a GNB Gestão de Activos, com o fundo NB Ações Europa, que apresenta um retorno de 11,88%. O fundo gerido por Hugo Custódio, em janeiro, segundo a ficha de produto disponível no site da entidade, tinha uma exposição de cerca de 30% aos sector financeiro e de quase 15% ao sector industrial. No mesmo documento, o profissional destacava, em termos de perspetivas para 2015 precisamente o evento protagonizado pelo BCE. “Esta medida poderá ter um impacto muito forte nas performances dos ativos em 2015", comentava o gestor.

A fechar o top 5, destaque ainda para um fundo da BPI Gestão de Activos: o BPI Ibéria, que conseguiu um retorno de 11,88%. O fundo recentemente agraciado com o título de “melhor fundo” nos  Euronext Lisbon Awards, e a cargo de Catarina Quaresma Ferreira, conta com cerca de 13,4 milhões de euros sob gestão.

Fundos de Acções da União Europeia, Suíça e Noruega

FundosGestoraRentabilidade desde o início de 2015 (%)
 F.I.M. Montepio Acções Montepio Gestão de Activos 12,13
 F.I.M. Postal Acções Caixagest11,93
 F.I.M. Caixagest Acções Europa  Caixagest 11,93
 F.I.M. NB Ações Europa GNB Gestão de Activos11,88
 F.I.M. BPI Ibéria BPI Gestão de Activos11,80
 F.I.M. Millennium Eurocarteira Millennium Gestão de Activos11,31
 F.I.M. Montepio Capital Montepio Gestão de Activos11,24
 F.I.M. Montepio Acções Europa  Montepio Gestão de Activos 11,19
 F.I.M. Banif Euro Acções Banif Gestão de Activos11,07
 F.I.M. Santander Accões Europa Santander Asset Management10,92
 F.I.M. Popular AcçõesPopular Gestão de Activos 10,39
 F.I.M. BPI Euro Grandes Capitalizações  BPI Gestão de Activos  10,01
 F.I.M. BPI Europa  BPI Gestão de Activos  9,92
 F.I.M. BBVA Bolsa Euro BBVA Gest9,80
 F.I.M. CA Acções EuropaCA Gest9,31
 F.I.M. Patris Acções Europa  Patris Gestão de Activos6,08
Fonte: APFIPP, 27 de dezembro 
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos