Tags: Consultoria |

Número de carteiras geridas aumenta em sete mil


 

Os  dados da gestão individual de carteiras referentes a 2012 mostram um crescimento no número de carteiras, sobretudo nas instituições de crédito nacionais, tendo o valor gerido também aumentado face ao final do ano anterior, mostram as estatísticas disponíveis no site da CMVM.

A 31 de Dezembro havia um total de 29.799 carteiras, mais 7.071 que no mesmo mês do ano anterior, quando a quantidade ascendia a 22.728. Nos primeiros meses do ano houve uma tendência de decréscimo, com o número a recuar até 20.441, tendo a inversão sido notória nos meses de Julho e Agosto e o máximo de carteiras geridas ao longo do ano passado ter sido em Novembro, quando foram superadas as 30 mil.

O aumento homólogo verificado no número de carteiras aconteceu sobretudo, entre os diversos intermediários financeiros, nas instituições de crédito nacionais, onde o passou para 23.533 em Dezembro de 2012, de 15.793 um ano antes. Entre os restantes intermediários, o número de carteiras aumentou nas sociedades gestoras de fundos de investimento mobiliário - mais 367 para 2.129 -, e nas instituições de crédito estrangeiras com sede na União Europeia (sucursal) – mais 18 para 233.

O número carteiras decresceu nas instituições de crédito estrangeiras com sede fora da União Europeia (sucursal) – menos 14 para 214 -, nas sociedades corretoras – menos 197 para 1.072 -, nas sociedades financeiras de corretagem- menos 402 para 237 –, e nas sociedades gestoras de patrimónios – menos 441 para 2.381 carteiras.

Quanto ao valor sob gestão, era no final do ano passado de 57,84 mil milhões de euros, mais cerca de 2,56 mil milhões que em Dezembro de 2011, mostram as mesmas estatísticas. Entre os intermediários financeiros referência para o aumento de cerca de três mil milhões de euros, para 31,45 mil milhões, no montante gerido pelas sociedades gestoras de fundos de investimento mobiliário, e para a subida de mil milhões nas instituições de crédito nacionais, para 3,64 mil milhões de euros, de 2,63 mil milhões de euros. Em termos homólogo houve ainda um crescimento no valor sob gestão das instituições de crédito estrangeiras com sede fora da União Europeia (sucursal), para 143,1 milhões de euros.

Nos restantes intermediários houve decréscimo para 284,4 milhões no caso das instituições de crédito estrangeiras com sede na União Europeia (sucursal), para 57,6 milhões nas sociedades de corretagem, para 832,1 milhões nas sociedades financeiras de corretagem e para 21,43 mil milhões nas sociedades gestoras de patrimónios.

Próximos eventos