Tags: Negócio | Ações |

No ‘cinzento’ mês de junho o BCP continuou a ser a cotada preferida dos OICVM


No calendário dos mercados financeiros junho não foi de longe um mês para mais tarde recordar. O panorama dos mercados bolsistas estendeu-se ao negócio dos fundos de investimento e, no mês, pouco mais de uma dezena de produtos conseguiram retornos positivos. As últimas informações da CMVM confirmam a pouca atratividade do período. O valor sob gestão dos OICVM, segundo o Regulador, reduziu-se 4,8% para os 8.812,1 milhões de euros, o que se traduz em menos 443,8 milhões de euros comparativamente com o mês de maio. Também os Fundos de Investimento Alternativo (FIA) viram o seu montante sob gestão decair no período (- 2,3%)  para 2.794,9 milhões de euros sob gestão.

No entanto, importa referir que no mês de junho o mercado nacional de fundos encurtou. Os OICVM passaram de 153 para 146, enquanto o universo de FIA diminuiu em duas unidades, para 45 produtos.

Mês de fusões

No mês em questão foram três os fundos  de investimento liquidados: o Barclays FPA, gerido pelo Barclays Wealth Managers Portugal, o Fundo especial de investimento aberto CA Rendimento Crescente, bem como  o Fundo especial de investimento fechado CA Rendimento TOP, ambos a cargo da CA Gest.

No mesmo período destaca-se também a fusão transfronteiriça de cinco fundos de investimento geridos pela BBVA Gest por incorporação na SICAV autogerida “BBVA Durbana International Fund”, que já lhe demos conta aqui. Segundo o Regulador o  fundo Euro BBVA Cash foi incorporado no BBVA Euro Cash Fund (Classe A); o fundo BBVA Bolsa Euro foi incorporado no BBVA European Equity Fund (Classe A) Eur; o fundo BBVA Multiactivo Flexível foi incorporado no BBVA Multi-Asset Defensive EUR Fund (Classe A); o fundo BBVA Gestão Flexível foi incorporado no BBVA Multi-Asset Moderate Eur fund (Classe A); e, por fim, o BBVA Obrigações foi incorporado no BBVA EUR Corporate Bond Fund (Classe A).

Mas estes não foram os únicos casos em junho. No mês houve também uma fusão por incorporação do  Barclays PPR Life Path 2015 no Barclays PPR Life Path Income, gerido pelo Barclays Wealth Managers Portugal.

BPI GA sobe ao 2.º lugar das gestoras com maior quota de mercado

Para a BPI Gestão de Activos o mês de junho não foi assim tão cinzento. Segundo os dados do Regulador, a Caixagest continua a ser a entidade com a quota de mercado mais elevada (33,9%), ao passo que a BPI GA subiu ao segundo lugar deste ranking, alcançando uma representatividade de mercado de 17%. A gestora ultrapassou assim a Santander Asset Management, que fechou o mês com uma quota de mercado de 16,9%.

BCP continua no topo das preferências dos fundos

No que diz respeito às preferências acionistas dos OICVM nacionais, pouco mudou. O BCP mantém-se com o ‘epíteto’ de cotada nacional mais apreciada pelos produtos portugueses, que investem 25,6 milhões de euros em ações do banco. Este valor representa 10,8% do montante total investido pelos OICVM, sendo que o dinheiro aplicado na cotada avançou quase 3% no mês. A Sonae SGPS continua no segundo posto das preferências, embora os fundos tenham reduzido em 0,6% o montante em carteira do título. 

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos