NB Rendimento Plus: “Quem é” o Melhor Fundo Nacional de Obrigações Euro?


Depois de se passar em revista, uma a uma, as entidades nacionais que saíram  premiadas na noite de 23 de abril, nos Morningstar Awards, esta é a vez de olhar para os produtos nacionais que foram agraciados.

O Melhor Fundo Nacional de Obrigações Euro é um repetente nestas lides. Pelo segundo ano consecutivo a empresa de análise elegeu o NB Rendimento Plus, gerido pela GNB – Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A., para ‘preencher’ esta categoria de prémios.

O produto está a cargo do “veterano” João Zorro (na foto), responsável pela área de Obrigações da GNB Gestão de Ativos, Grupo NOVO BANCO, e com caminho feito na indústria de gestão de fundos desde o ano de 2000. Conforme relata a entidade em comunicado, o NB Rendimento Plus “investe predominantemente em instrumentos representativos de dívida multifacetado nas estratégias que segue, refletindo a visão da equipa para as várias subcategorias do universo de Dívida – dívida pública, dívida corporate, emergentes – em diferentes divisas e graus de senioridade”. O profissional destaca ainda o empenho de toda a equipa que em conjunto trabalha para selecionar as melhores oportunidades de investimento.

Identificação das oportunidades e flexibilidade

Segundo a entidade, “a escolha das estratégias depende das oportunidades que se identificam nos vários contextos de mercado”, e a flexibilidade de gestão do produto “materializa-se pela inexistência de temas fixos de investimento e pela utilização de instrumentos de outros mercados para cobrir situações de volatilidade mais acentuadas (e.g., índices acionistas, cambial), sendo que o Fundo tem sempre um limite de Value at Risk (VaR) de 2.5%, claramente definido em prospeto”.

No ano passado, depois de arrecadar este mesmo prémio, João Zorro destacava, numa entrevista à Funds People, precisamente “a flexibilidade de gestão, que torna o fundo capaz de tomar decisões de investimento em qualquer classe de risco de obrigações - dívida pública, corporate investment grade, high yield, mercados emergentes, convertíveis...podendo inclusive cobrir o risco através dos mais variados tipos de ativos – índices de ações, taxa de juro, cambial e derivados de crédito”.

O produto com cerca de 41 milhões de euros de ativos sob gestão, apresenta, segundo dados da APFIPP de 17 de abril, uma rentabilidade anualizada de 5,75%, e para a Morningstar continua a ser um fundo cinco estrelas.

Na ficha de produto do mês de março, disponível no site da GNB Gestão de Ativos, Grupo NOVO BANCO, João Zorro salientava em termos macro que durante o primeiro trimestre de 2015, “o mercado de crédito teve uma valorização de cerca de 1.45%”, e que, nesse sentido, o fundo “tem sido particularmente favorecido pela exposição a dívida “corporate” e dívida pública da periferia”. 

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos