Mapa dos fundos imobiliários em junho


No final do mês de junho, o valor sob gestão dos fundos imobiliários era de 11.761,9 milhões de euros, menos 108,8 milhões do que em maio. Esta redução, em termos percentuais, foi inferior a 1%, segundo os dados da CMVM.

De acordo com o regulador, o montante sob gestão caiu em todos os segmento que compõem este mercado. Nos fundos de investimento imobiliário (FII) a queda foi de 0,7% para 8.245 milhões de euros; nos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) a descida registada foi de 1,4% para 2.743 milhões de euros enquanto nos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) a desvalorização foi, também, de 1,4% para os 773,4 milhões de euros.

Unidades de participação crescem na carteira dos fundos fechados

Analisando a carteira dos cerca de 250 produtos que compõem o mercado nacional, apenas nos fundos fechados houve um incremento em junho do investimento noutros fundos de investimento, isto é, um aumento do número de Unidades de Participação em carteira. Segundo a publicação da CMVM, o aumento das UPs nos fundos fechados foi de 4,1% para quase 76 milhões de euros. Ainda assim, representam apenas cerca de 1% do total da carteira de investimento.

Nos outros segmentos a tendência foi de queda, com a descida nos FII e FEII a ser superior a 16% para 3 milhões de euros.

Poucas mudanças no ranking das entidades

Se excluirmos os fundos fechados da análise, a Interfundos continua a ser a maior entidade nacional do segmento com uma quota de mercado de 12,9% e 40 fundos sob a sua responsabilidade. A Fundger surge logo de seguida com 26 fundos e uma quota de 11,8%. O top 3 é fechado pela Norfin com 8,7% de quota de mercado e 15 produtos.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos