Tags: Alternativos |

Log Capital Management apresenta a sua estratégia quantitativa no mercado de Forex


A Log Capital Management tomou a decisão de constituir o primeiro dos seus produtos no Luxemburgo, devido ao facto entre outros, de se tratar de uma plataforma global de distribuição de fundos com uma sólida cultura na proteção aos investidores, aliado à robustez do sector bancário e riqueza do país. O Luxemburgo é a maior praça financeira no que se refere à área de fundos de investimento e gestão de ativos.

A par disso, a “procura cada vez maior por sociedades não dependentes dos bancos por parte dos investidores, constituíram um enquadramento de investimento propício para o lançamento do Global Economy Alpha Fund", sublinha João Teixeira (na foto), CEO e Gestor do Fundo da LCM, em declarações à Funds People Portugal.

Na sociedade gestora, para além de João Teixeira, integram também a equipa, Miguel Antão e Christophe Lentschat, na qualidade de Board Directors.

Uma estratégia quantitativa no mercado de Forex

A gestora apresenta ao mercado um hedge fund, lançado em Fevereiro de 2015, cuja filosofia de investimento se baseia numa estratégia quantitativa inovadora sobre o mercado cambial.

João Teixeira refere que "uma das particularidades deste produto, é o facto de incorporar a análise fundamental dentro do próprio algoritmo". Fazem-no a partir do "conceito de globalização que desenvolveram numa lógica de tentar entender os movimentos de valorização e desvalorização dos principais pares de moedas" e que têm sempre em consideração no momento de selecionar os ativos para a carteira.

O universo de investimento são as divisas do G10, com as quais constituem posições longas e curtas e cuja decisão de investimento passa por uma estratégia quantitativa, bem como obrigações e instrumentos de mercado monetário, onde a seleção é feita pela equipa gestora.

Em termos regulamentares, no que se refere a alocação, o fundo poderá apresentar um máximo de 30% do portfólio com exposição ao mercado cambial, enquanto os restantes 70% poderão ser distribuídos entre os restantes ativos mencionados, por forma a maximizar o binómio risco retorno.

O mundo das divisas a nível global é bem conhecido pelo gestor, passou pela mesa de propt trading do Crédito Agrícola, onde foi responsável pelas carteiras de investimento do Banco. Por esse motivo, e a "história tem vindo a comprová-lo", diz João Teixeira, a classe de ativos das divisas é menos volátil que as demais, além de ter dois activos na equação (por exemplo euro-dólar) e não apenas um, como acontece em ações ou obrigações.

Por último, o profissional salienta que as políticas intervencionistas dos Bancos Centrais tendem a mitigar os grandes movimentos no mercado cambial que por si só é muito vasto, tanto no número de participantes/estratégias como nos volumes negociados.

Descorrelação e Performance

O Log Capital Management - Global Economy Alpha Fund, apresenta ainda a seu favor uma  descorrelação com os tradicionais mercados de ações e obrigações.

Ainda assim, João Teixeira, Gestor do Fundo, considera que cada vez mais o investimento em produtos alternativos deverá apresentar uma componente de caracter obrigatório, mesmo que residual, na alocação de ativos.

Apesar de ser um fundo recente, o backtesting da estratégia apresenta rendibilidades médias históricas superiores a 5% ao ano. Os resultados relativos à estratégia que a Log Capital Management tem vindo a implementar no seu novo fundo têm dado sinais bastante positivos, mostrando com isso que está no bom caminho

O Mais Lido

Próximos eventos