Investidores “agarraram-se” à estabilidade em abril


A procura incessante por risco parece ter-se moderado ligeiramente no quarto mês do ano. Pelo menos essa é a informação confirmada pelas plataformas nacionais que disponibilizam fundos de investimento estrangeiros – Banco Best, ActivoBank e Banco BiG – que testemunharam à Funds People a necessidade dos investidores em manter alguma estabilidade nas carteiras durante o mês de abril. Recorde-se a este nível que as ações norte-americanas atingiram máximos históricos recentemente, e Janet Yellen, presidente da Fed, já alertou para os potenciais perigos da situação.

Estabilidade no topo: o mesmo nome

Do Banco Best, Rui Castro Pacheco, head of asset management, “faz as contas” e explica precisamente que “o top 10 deste mês foi ligeiramente mais conservador que o registado nos últimos meses, mantendo ainda assim a maioria de 5 fundos de ações entre os mais subscritos”. No ouro e prata da lista aparecem dois veteranos do top, que confirmam a procura pela estabilidade atrás referida. “Os dois fundos mais subscritos foram dois fundos mistos com estratégias de alguma exposição a ações mas com predominância de ativos menos arriscados e preocupações de proteção do capital investido”, indica, acrescentando que "quer o fundo gerido pela Nordea quer o fundo gerido pela MFS têm estado em evidência no TOP de subscrições há alguns meses". 

Por outro lado, no caso do Banco BiG, Isabel Soares, gestora de produto, denota que em abril “não existiram grandes novidades em termos de procura por fundos de investimento”. Explica que “mesmo com alguns índices a registarem correcções na segunda metade do período e com alguma incerteza de volta, os investidores parecem continuar disponíveis para assumir alguns riscos na expectativa de retornos interessantes”. Mas, tal como aconteceu nas outras duas plataformas, também aqui se denota a preocupação dos investidores pelo equilíbrio. “Ainda que o actual cenário de taxas de juro tenha potenciado a procura por activos mais arriscados, continua a ser notória uma preocupação dos investidores em não negligenciarem o balanceamento dos riscos das suas carteiras”, clarifica. Assim, denotou-se a “procura por fundos multi-activos com estratégias flexíveis e com enfoque no controlo de risco”. Tal como no Banco Best, também no BiG o fundo Nordea Stable Return foi o mais subscrito.

Ações Europa em destaque

No que diz respeito à componente acionista, Rui Castro Pacheco refere que “o fundo gerido pela BlackRock dedicado ao setor da saúde, World Healthscience, continua a registar a preferência dos investidores”. Há também lugar para os “fundos de ações globais, europeias e americanas, respetivamente com a Invesco, UBS e Legg Mason, permanecem no TOP há vários meses”. Novidade na lista é o aparecimento de mais um fundo de ações europeias, no caso o Jupiter European Growth, que “aparece como uma potencial alternativa ao UBS European Opportunities Unconstrained ou como fundo utilizado como diversificação para investidores que já detêm este último”.

O cenário a este nível é semelhante ao do Banco BiG. Também na plataforma, o top10 de abril é composto por 5 fundos de ações e, neste âmbito, “voltaram a destacar-se alguns temas que já estiveram em evidência no decorrer dos últimos meses:  Acções Europa (fundo Invesco Pan European Structured Equity), fundos com estratégias focadas em empresas capazes de gerar dividendos sólidos e sustentáveis (fundo Fidelity Global Dividend e JPMorgan Europe Strategic Income) e o sector da saúde (representado pelo fundo Fidelity Healthcare)”.

Também o ActivoBank determina algumas considerações relativamente à componente de ações no mês de abril. João Graça, da entidade, indica que “nos mercados acionistas verificamos algumas correções, por exemplo o DAX corrigiu cerca de 4% no mês, motivado pelas difíceis negociações com a Grécia. Por sua vez no Oriente, ouvimos relatos de crescimento abaixo do esperado e defaults de empresas detidas pelo Estado”.  Igualmente nesta plataforma denotou-se que os “investidores se posicionaram no sentido de obter uma maior estabilidade alocando recursos a investimentos com menor risco no caso das obrigações ou no mercado acionista em áreas geográficas ou setores específicos que à partida terão mais possibilidades de valorizar como a Zona Euro por efeito do QE do BCE ou os sectores da Saúde ou Tecnologia”.

Tendências “velhas” nas obrigações

Tanto o Banco Best como o Banco BiG  comentaram ainda a componente obrigacionista do ranking deste mês. Rui Castro Pacheco indica que a este nível aparecem alguns “suspeitos do costume”, onde se encontram “os já conhecidos Dynamic Bond, gerido pela Jupiter, e o Emerging Markets Bond, gerido pela Pioneer”. O profissional esclarece que “ambos os fundos são geridos com uma grande flexibilidade pelas respetivas equipas de gestão, podendo diversificar os seus investimentos por vários segmentos de dívida, embora o fundo da Pioneer apenas no universo de países emergentes”. Novidade neste campo foi o “aparecimento do Norwegian Bond, gerido pela Nordea, no TOP de subscrições, eventualmente pela necessidade de alguma diversificação na exposição a moedas diferentes do EUR e do USD”.

No BiG a tendência a este nível também segue o rumo de meses anteriores. “Os investidores continuaram a procurar soluções no segmento de high yield (com o fundo Neuberger Berman Short Duration High Yield novamente em destaque) e a privilegiar estratégias dinâmicas que possam abranger vários compartimentos do segmento de dívida”, explica Isabel Soares.

Fundos estrangeiros mais subscritos nas plataformas em abril

 

Banco Best

ActivoBank

Banco BiG

1

Nordea-1 Stable Return Fund E EUR

Parvest Bond Euro Government N

Nordea 1 Stable Return Fund

2

MFS® Meridian Funds - Global Total Return Fund Class A1 EUR Acc

UBS (Lux) SF Yield (EUR) N Acc

Invesco Pan European Structured Equity

3

 Invesco Funds - Invesco Global Structured Equity Fund E

MSS Euro Corporate Bond B

Fidelity Funds - Global Dividend Fund

4

  BlackRock Global Funds - World Healthscience E2 EUR

UBS (Lux) SF Balanced (EUR) N Acc

BNY Mellon Euroland Bond

5

 The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q Inc

BGF World Healthscience E2

Neuberger Berman Short Dur. High Yld Bd

6

  UBS (Lux) Equity SICAV - European Opportunity Unconstrained (EUR) P-acc

BNY Mellon Global Real Return A

JPMorgan Funds Global Bond Opportunities

7

Pioneer Funds - Emerging Markets Bond C EUR ND

Franklin Biotechnology  Discovery N

Jupiter Dynamic Bond Fund Dist

8

    Legg Mason ClearBridge US Aggressive Growth Fund Class A EUR Acc

Amundi F Bond Europe FE

JPMorgan Europe Strategic Dividend

9

Nordea-1 Norwegian Bond Fund E NOK

Franklin Technology N

Nordea 1 Stable Equity Long/Short

10

 The Jupiter Global Fund - Jupiter European Growth Class L EUR Acc

SISF Euro Equity B

Fidelity Funds-Healthcare Fund

 

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos