Investidores adeptos dos fundos de ações europeus, mas também globais: assim foi junho


O mês de junho foi claramente um mês de voltar às ações, mas também à Europa. Os investidores do  BiG, do Banco Best, do ActivoBank e também da plataforma de fundos do Banco Invest foram adeptos convictos das ações num mês em que “Grécia” foi nome de guerra, e em que a volatilidade voltou a níveis máximos. Destemidos, no entanto, os investidores das plataformas, em junho, não deixaram para trás o continente europeu. Ao todo contam-se 21 fundos de ações presentes nas escolhas dos clientes das quatro entidades.

Alvo principal: Europa... mas em vários “moldes”

A Europa foi a região em destaque no mês. Dos 21 fundos, 7 viram atenções para o continente europeu e, uma vez mais, falamos de produtos que o investidor nacional já reconhece. A este nível as opções são distintas. Dois dos fundos preferidos investem em empresas de capitalizações distintas. Por um lado encontramos o MFS® Meridian Funds - European Smaller Companies Fund Class A1 EUR Acc, gerido pela MFS Investment Management, que, tal como o próprio nome indica investe em empresas de pequena capitalização. Atualmente a carteira do fundo, segundo as informações online da Morningstar, tem a maior parte do seu investimento aplicado no Reino Unido, e das maiores posições do produto fazem parte a Bunzl, empresa distribuidora de produtos não alimentares de consumo desta região – ou a Stagecoach Group, empresa de transportes escocesa com operações no Reino Unido e na América do Norte. No caso do Parvest Equity Europe Mid Cap N, da responsabilidade do BNP Investment Partners, o produto foca-se em empresas de média capitalização com um estilo ‘misto’. Quase 30% da carteira do fundo está alocada ao sector do consumo cíclico, seguindo-se o sector da indústria com um peso no portfólio de quase 18%.

Os três produtos seguintes partilham o facto de investirem em empresas de grande capitalização. Falamos do Invesco Pan European Structured Equity E, gerido pela Invesco AM, do Deutsche Invest I Top Euroland NC, a cargo da Deutsche AWM e, por fim, o SISF Euro Equity B, da Schroders. Com diferentes opções em carteira, apenas o fundo do Deutsche e da Schroders partilham uma posição em comum, segundo o site da Morningstar: o investimento na entidade bancária italiana Intesa Sanpaolo.

No rol de fundos europa, da lista importa também destacar o fundo estrela da UBS Global AM, que apresenta uma política de investimento sem restrições. Falamos do UBS (Lux) Equity SICAV - European Opportunity Unconstrained (EUR) P-acc, que também ele olha para as empresas de grande capitalização, mas com um enfoque ‘unconstrained’. Atualmente, segundo a página online da Morningstar, o fundo apresenta a farmcêutica Novartis como maior posição da carteira. Numa entrevista de março, Jeremy Leung, da entidade, à Funds People Portugal falava precisamente da permanência em carteira deste tipo de empresas que “ levam a cabo processo de restruturação”.

Investir globalmente

Apesar da predominância da Europa, também os fundos com um caráter mais global tiveram uma presença significativa no mês de junho. Embora os fundos de distribuição de rendimentos não estejam entre os mais apetecidos pelos investidores nacionais, no mês em questão há que destacar dois produtos que se enquadram neste âmbito e que investem globalmente. São eles o Fidelity Funds - Global Dividend Fund A, da Fidelity Worldwide Investement, e o Pioneer Fds Global Equity Target Income, da Pioneer Investments. Ambos os fundos diferem bastante em termos de investimento atual, embora optem por empresas de grande capitalização com estilo ‘value’. No caso do produto da Fidelity a preferência vai para empresas do sector da saúde, como por exemplo a Johnson & Johnson ou a Roche. Já o fundo da Pioneer vira atenções para o sector dos serviços financeiros e para o consumo cíclico.

Os Sectoriais continuam a marcar presença

Como vem sendo hábito nesta análise, os fundos com um enfoque sectorial voltaram a marcar presença. A Bioctecnologia, a Saúde e a Tecnologia aparecem representados por habitués, como o Franklin Biotechnology Discovery N Acc $, o Franklin Technology N, da Franklin Templeton Investments, ou o BlackRock Global Funds - World Healthscience Fund Class E2 EUR, da BlackRock, mas também há lugar para uma novidade. O Candriam Equities L Biotechnology N Acc USD, gerido pela Candriam Luxembourg, que em carteira apresenta uma maior predominância de investimento nos EUA.

Fundos de ações mais subscritos em junho nas plataformas 

Fundo GestoraRegião/Sector 
BlackRock Global Funds - World Healthscience Fund Class E2 EURBlackRockSaúde
Candriam Equities L Biotechnology N Acc USDCandriam LuxembourgBiotecnologia
Deutsche Invest I Top Euroland NCDeutsche AWM Europa
Fidelity Funds - Global Dividend FundFidelity Worldwide InvestmentGlobal 
Franklin Biotechnology Discovery N Acc $Franklin Templeton InvestmentsBiotecnologia
Franklin Technology NFranklin Templeton InvestmentsTecnologia
Invesco Funds - Invesco Global Structured Equity Fund EInvesco AM Global 
Invesco Pan European Structured EquityInvesco AM Europa
JPM Inv F US Select Equity DJ.P. Morgan AMEUA
MFS® Meridian Funds - European Smaller Companies Fund Class A1 EUR AccMFS Investment ManagementEuropa
Mirae Asia Sector Leader Equity USDMirae Asset Global Investments Ásia
Parvest Equity Europe Mid Cap NBNP Paribas Investment Partners Europa
Pictet Japanese Equity SelectionPictet AM Japão
Pictet-Global Megatrend SelR EURPictet AM Global
Pictet-Security R EURPictet AM Global
Pioneer Fund Global Equity Target IncomePioneer InvestmentsGlobal
Schroder ISF European Dividend Max B DisSchrodersEuropa
SISF Euro Equity BSchrodersEuropa
SISF UK Equity BSchrodersReino Unido 
UBS (Lux) ES Eurp Opp Uncons € PUBS Global AM Europa
UBS (Lux) SF Equity (EUR) N AccUBS Global AM Global
Fonte: Informação cedida pelo BiG, Banco Best, ActivoBank e Banco Invest
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos