ING Investment Management continua positivo para o imobiliário


O imobiliário continua a fazer parte das preferências da ING Investment Management. No seu último Marketexpress, a entidade reafirma essa convicção. “O imobiliário é um ativo óbvio para os investidores que estão à procura de yield”, começam por dizer, realçando que os últimos desenvolvimentos fizeram com que fosse reduzida a exposição que têm a imobiliário global, aumentando por outro lado as posições na Europa.

“Sendo um target óbvio para os investidores que estão à procura de yield, as ações de imobiliário superaram a performance de outras classes de ativos e outros sectores, durante este ano”, escrevem. Mas a gestora deixa um aviso: “esta “viagem” pode ficar um pouco mais complicada com a especulação sobre quando e qual o banco central que vai começar a apertar as condições de política monetária, o que irá afetar as yields das obrigações”.

Mercado imobiliário inglês a fazer correções

O principal “suspeito” para a subida das taxas de juro é o BoE (Bank of England), ainda para mais depois do Governador da entidade, Mark Carney, ter confirmado essa intenção no dia 12 de junho. Para o ING Investment Management esta intenção “não passou despercebida ao mercado imobiliário inglês, que começou logo a fazer correções”.

Mais Europa

Com todas estas tendências de mercado a acontecerem, a gestora procedeu a algumas adaptações de alocação do imobiliário, que consideram essenciais. “O "overweight" em Reino Unido foi reduzido para neutro, enquanto, por outro lado, aumentámos a sobreponderação a Europa de “small” para “medium”".

Os fundamentais continuam “firmes” em quase todos os países dos mercados desenvolvidos e o imobiliário não residencial está a começar a melhorar, guiado pelas favoráveis previsões económicas. Esta recuperação sublinhada pela entidade “teve o seu início nos EUA, mas atualmente também no Reino Unido, na Alemanha, no Japão, e mais recentemente na Europa periférica e core, existem sinais de melhoria em termos de preços de casas e das suas vendas”, indicam.

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos