Habitação passa a principal aplicação dos fundos de gestão de património


A habitação passou a ser, em Outubro, a principal finalidade da maioria dos imóveis detidos pelos fundos de gestão de património imobiliários (FUNGEPI), com um peso de 35,6% nas carteiras e um valor de 116,5 milhões de euros, de acordo com a estatística mensal divulgada pela CMVM.

Nos imóveis destinados ao comércio houve uma queda mensal de 33,3%, passando estes a ter um valor de 111,2 milhões de euros e um peso de 34% no total dos imóveis em carteira (327,5 milhões de euros no final do mês passado).

Analisando o histórico da estatística mensal dos fundos imobiliários – que começa em Janeiro de 2010 – conclui-se que Outubro de 2012 é o primeiro mês em que o peso dos imóveis destinados à habitação supera o dos do sector do comércio, nos FUNGEPI.

Na carteira dos fundos de gestão de património constam ainda imóveis destinados a serviços (com um peso de 14,3% e um valor de 46,8 milhões de euros), outros imóveis (peso de 14,9% e valor de 48,8%) e ainda tendo o sector industrial como finalidade (peso de 1,3% e valor de 4,2 milhões de euros).

De acordo com a estatística mensal da CMVM, o valor total sob gestão dos FUNGEPI caiu 12,4% em Outubro, face a Setembro, para 585,1 milhões de euros.

Há apenas uma entidade que tem fundos de gestão de património imobiliário, a Fimoges, com três no total.

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos