Tags: Negócio |

Grandes tendências na indústria de gestão de ativos


As 50 maiores gestoras de ativos geriam no fecho de 2012 um patrimonio de mais de 38 biliões de dólares, o que corresponde a mais quatro biliões do que no ano anterior. Este é um dos dados de destaque do relatório publicado recentemente pela prestigiada consultora norte-americana Cerulli Associates.

Segundo os dados apresentados, não só aumentou o património total das gestoras, como as maiores continuam a ver os seus ativos sob gestão a crescer: em 2012, onze empresas geriam ativos no valor de mais de um bilião de dólares (face aos nove registados em 2011) e o número das gestoras com mais de dois biliões de dólares sob gestão duplicou relativamente ao ano anterior, passando de dois para quatro. A BlackRock continua a ser a única gestora a ultrapasar os três biliões de dólares de património.

Posição

Gestora

AUM(1)

1

BlackRock

3,792

2

State Street Global

2,086

3

Vanguard Group

2,000

4

PIMCO

2,000

5

Fidelity Investments

1,690

6

AXA Group

1,474

7

J.P. Morgan Asset Management

1,400

8

BNY Mellon

1,386

9

Deutsche Asset & Wealth Management

1,247

10

Capital Group

1,081

(1) Ativos sob gestão, em biliões de dólares.

Fonte: The Cerulli Report: Global Markets 2013, Cerulli Associates.

Embora a tendência de consolidação do sector da gestão de ativos não seja algo novo “acelerou-se significativamente desde o início da crise”, assinala Shiv Taneja, diretor de análise internacional da consultora em Londres “As grandes empresas podem fazer muitas coisas, tanto boas como menos boas. É importante que os reguladores, no seu esforço de proteger os investidores, não acabem a penalizar as gestoras mais pequenas”, acrescenta.

O relatório mostra que a concentração do sector da gestão de ativos é evidente tanto a nível mundial como por países e dá como exemplo que em seis dos dez países selecionados mais de 70% do investimento do retalho se concentra em dez gestoras. No caso do sector dos planos de pensões, esse nível de concentração repete-se em sete dos dez países selecionados.

Maior procura de hedge funds

Por outro lado, a consultora também publicou resultados de um estudo recente segundo o qual os investidores institucionais confiam cada vez mais em hedge funds como ferramenta de gestão de risco e diversificação.

“Desde 2008, os investidores institucionais sentiram-se muito pressionados para melhorar as rendibilidades das suas carteiras sem aumentar os seus perfis de risco”, aponta Michele Giuditta, diretor associado da Cerulli Associates. “A nossa análise indica que, nos últimos cinco anos, os investidores institucionais têm vindo a aumentar progressivamente as suas alocações a hedge funds como parte de um foco que dá ênfase à gestão de riscos”. 

Anexos

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos