“Gira o disco e toca o mesmo”


A “história” das 10 melhores rendibilidades acumuladas dos fundos nacionais continua a ser contada de uma maneira muito semelhante àquela que se fazia por exemplo há um ano atrás. No ranking disponibilizado pela APFIPP continuam a figurar os fundos habituées, e a predominância das categorias acontece com as “suspeitas do costume”: ações nacionais e ações sectoriais.

Depois de ter ultrapassado o Santander Ações Portugal na liderança dos mais rentáveis durante cerca de um mês, o Montepio Euro Telcos, gerido pela Montepio Gestão de Activos, voltou a descer na tabela desde há duas semanas atrás, estando agora no 3.º lugar, apresentando um retorno anual de 27,1%.

O primeiro e segundo lugares do top dos mais rentáveis no último ano, com dados da semana de 14 de março, voltam a colocar enfâse na bolsa nacional. O Santander Ações Portugal, da Santander Asset Management, e gerido por Diogo Pimentel, desde há duas semanas que recuperou o fôlego, voltando à liderança e apresentando agora uma rendibilidade anualizada de 31,3%.

O segundo lugar da lista fica reservado para o fundo gerido pela Banif Gestão de Ativos, o Banif Acções Portugal, que há uma semana que trocou posição com o Montepio Euro Telcos. O fundo gerido por Jorge Guimarães e Nuno Marques apresentava na semana de 14 de março um retorno de 27,7%.

Para o último lugar da lista entra um fundo pertencente a uma das categorias “tendência” dos últimos tempos: ações sectoriais. O BPI Ibéria, da BPI Gestão de Activos, apresentava na semana de 14 de março uma rendibilidade anualizada de 15,9%, e substitui o Millennium Euro Financeiras na listagem. 

 

O ranking dos 10 fundos com melhores rendibilidades nos últimos doze meses

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos