Gestora de ativos StepStone abre unidade no Brasil


Já a atuar na América Latina, através dos escritórios em San Diego e Nova York, a gestora e administradora de ativos StepStone tem agora presença no Brasil, com escritórios em São Paulo. A entidade conta com 500 milhões de dólares de ativos sob gestão na região, mas 80% desse valor é proveniente do Brasil.

Para constituir a equipa no mercado brasileiro, a empresa contratou ex-membros da Paul Capital – gestora de fundos secundários de private equity, que encerrou novas captações para os seus fundos, depois de mais de 20 anos de operação.

Potencial de negócios

Dos escritórios que a Paul Capital tinha no Brasil, “migram” para a StepStone os profissionais Duncan Littlejohn e Bruna Riotto, que serão responsáveis pela operação na América Latina, ocupando respetivamente os cargos de sócio-diretor e vice-presidente. “Achámos a abordagem da StepStone interessante e ampla, pois eles não investem apenas em fundos secundários, mas também em primários e fazem co-investimentos. Isso amplia a potencialidade de negócios”, disse Duncan Littlejohn à publicação brasileira “Investidor Institucional".

Também com escritórios em Londres, Pequim, Hong Kong, Seul e EUA, a StepStone gere aproximadamente 50 mil milhões de dólares de alocações no mundo todo. Em São Paulo, de onde será comandada a estratégia da América Latina, irá ser aproveitado o “contrafluxo de capitais locais que estão a procurar private equities externos”, referem da entidade.

Foco no investimento no estrangeiro

Mais concretamente no Brasil, a StepStone irá auxiliar os clientes a investirem no exterior, já que a entidade na América do Norte tem contacto com 3 mil gestores, com 1,3 mil na Europa, e finalmente na Ásia, com mais de mil. 

A operação no Brasil não inclui, por enquanto, o lançamento de fundos.

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos