Fundos sectoriais na mira dos investidores nacionais


O primeiro mês do ano, no que toca aos fundos de ações mais subscritos nas plataformas nacionais (Banco Best, ActivoBank e Banco BiG), evidenciou a escolha por fundos sectoriais, sendo que os mercados global, europeu e norte-americano continuam na agenda dos investidores nacionais.

Entre os diversos sectores que existem, os investidores nacionais optaram por subscrever produtos que seguem as cotadas ligadas aos bens de consumo, biotecnologia e saúde. No primeiro caso é o fundo Fidelity Global Consumer Industries, da Fidelity WorldWide Investment, a ocupar um lugar de destaque entre os favoritos dos investidores. De realçar que nos últimos doze meses o MSCI World/Consumer Staples apresenta uma rendibilidade de 12,09%, quando se analisa em dólares.

No caso do sector da biotecnologia, são dois os produtos ‘escolhidos’ pelos investidores nacionais de duas grandes casas internacionais: o Franklin Biotechnology Discovery N Acc $, da Franklin Templeton Investments e ainda o UBS(Lux) EF Biotech (USD) P Acc da UBS Global AM. Ambos os produtos apresentam como referência o MSCI World/Biotechnology, em dólares, que nos últimos doze meses apresenta uma valorização de 23,12%.

Também no sector da saúde existem outros dois os produtos que os investidores portugueses mais subscreveram no mês passado: o BlackRock World Healthscience Fund da BlackRock e ainda o Fidelity Funds Global Health Care E da Fidelity. Estes fundos têm como benchmark o MSCI World/HealthCare, em dólares, que nos últimos doze meses cresceu 16,35%.

Um olhar sobre as regiões mais importantes

Além dos sectoriais, podemos encontrar ainda produtos que investem em ações europeias, norte-americanas e ainda globais. Em termos europeus podemos encontrar, entre outros, o Pioneer Funds European Potential da Pioneer Investments; enquanto do outro lado do Atlântico há um produto da J.P.Morgan Asset Management entre os escolhidos: JPM US Select Equity D. Em termos globais encontramos o Fidelity Funds International, o BNY Mellon Long-Term Global Equity da BNY Mellon AM e ainda o Invesco Global Structured Equity Fund da Invesco.

Além destes ainda se encontram na lista fundos cuja aposta se dirige ao Oriente: o Schroder ISF Asian Equity Yield da Schroders que investe no continente asiático, o Pictet-Japan Index-R JPY que tem como core as cotadas nipónicas e ainda dois produtos que investem na Índia: o Franklin India Fund e ainda o Goldman Sachs India Equity Port E Acc.

Os fundos de ações mais subscritos em janeiro

FundoGestoraRegião
Schroders ISF Asian Equity YieldSchrodersÁsia
JPM US Select Equity DJ.P.Morgan AMEUA
Legg Mason ClearBridge US Aggressive Growth Fund Class A EUR AccLegg MasonEUA
Invesco Pan European Structured EquityInvescoEuropa
UBS (Lux) Equity SICAV - European Opportunity Unconstrained (EUR) P-accUBS Global AMEuropa
Pioneer Funds European PotentialPioneer InvestmentsEuropa
BNY Mellon Long-Term Global Equity ABNY Mellon AMGlobal
Fidelity Funds International EUR AFidelityGlobal
Invesco Global Structured Equity FundInvescoGlobal
Franklin India FundFranklin TempletonÍndia
Goldman Sachs India Equity Port E AccGoldman Sachs AMÍndia
Pictet-Japan Index-R JPYPictetJapão
Fidelity Global Consumer Industries AFidelitySectorial - Bens de Consumo
Franklin Biotechnology Discovery N Acc $Franklin TempletonSectorial - BioTecnologia
UBS(Lux) EF Biotech (USD) P AccUBS Global AMSectorial - BioTecnologia
BlackRock World Healthscience FundBlackRockSectorial - Saúde
Fidelity Funds Global Health Care EFidelitySectorial - Saúde
Fonte: Informação cedida pelas próprias entidades, no final de janeiro de 2015, em exclusivo para a Funds People. 

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos