Fundos PPA no último triénio


O mercado nacional de fundos de investimento é composto por cerca de 190 produtos, com a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – a dividir o mercado em cerca de trinta categorias, de acordo com o tipo de investimento que cada produto realiza.

Uma dessas categorias – por sinal uma das mais rentáveis - é a que junta os Fundos Poupança Acções e que, segundo a Associação, engloba os produtos que “financiam Planos Poupança em Acções (PPA) de acordo com o Decreto-Lei n.º 204/95, de 5 de Agosto”, ou seja, que apenas podem investir em “acções e títulos de participação cotados em bolsa de valores nacional”; em “unidades de participação de fundos de investimento mobiliário cujo património seja constituído por um mínimo de 50% de acções cotadas na bolsa de valores nacional”; e ainda em “numerário, depósitos em instituições de crédito e aplicações no mercado monetário interbancário”.

Com estas características, a APFIPP encontra meia dúzia de produtos  - entre fundos mobiliários e fundos de pensões. Desses seis produtos, aquele que regista melhor performance é o BPI Poupança Acções (PPA) que é da responsabilidade da BPI Gestão de Activos. Nos três anos anteriores ao final de fevereiro, o fundo regista ganhos anualizados de 3,21%, com o património nessa data a superar os 1,37 milhões de euros. Em termos de alocação, o maior investimento em carteira é um futuro sobre o PSI-20, seguido de ações das cotadas Sonae SGPS, EDP Renováveis e Portucel.

Com uma rendibilidade superior a 2% encontramos um produto gerido pela Caixagest. Trata-se do Caixagest PPA que no período em questão regista uma rendibilidade de 2,07%. Com quase 2 milhões de euros em ativos sob gestão, o fundo tem como principais posições, ações da EDP Renováveis, Sonae SGPS e ainda um futuro sobre o principal índice bolsista português.

Destaque, ainda, para o NB Poupança Acções – PPA que é gerido por Hugo Custódio da GNB Gestão de Ativos. No período em análise a sua rendibilidade é de 1,99% e tinha, no final do mês mais pequeno do ano um património de 1,4 milhões de euros. Na ficha do produto, publicada mensalmente pela entidade, pode ver-se que o mês de fevereiro foi “aproveitado para comprarmos uma posição na Mota-Engil que teve o melhor desempenho do mercado português em fevereiro”.

Os fundos PPA com rendibilidade positiva nos últimos três anos

Fonte: APFIPP no final de fevereiro
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos