Tags: Obrigações | Ações |

Fundos Monetários: uma solução chave para a gestão da liquidez


Durante os dois últimos meses os activos sob gestão continuam a crescer, apesar da redução das rendibilidades. Este aparente paradoxo é na realidade bastante fácil de entender, pois é motivado por una palavra chave: segurança. Os investidores estão, de facto, a reconsiderar as suas políticas de investimento a curto prazo, aumentando os seus investimentos em fundos monetários em detrimento dos depósitos bancários a curto prazo ou certificados de aforro. Desta forma, obtêm rendibilidades positivas com um alto nível de liquidez e simultaneamente diversificam mais o seu portefólio.

Os fundos de mercado monetário procuram a preservação do capital, a liquidez diária e uma rendibilidade estável. Investem em instrumentos do mercado monetário cuidadosamente seleccionados pelos analistas de risco de crédito dentro de um universo elegível estabelecido pelas agências de 'rating'.

Oferecem portanto uma grande qualidade creditícia em conjunto de uma elevada diversificação. Outro ponto chave é a sua segregação: ao contrário dos depósitos bancários, os fundos de mercado monetário não fazem parte do balanço da sociedade gestora, mantendo-se em qualquer momento como propriedade do investidor. Como tal, estes fundos são altamente regulados, oferecem um perfil com o mais alto nível de segurança, liquidez e diversificação para a sua tesouraria.

E o que se passa com a rendibilidade?

Tendo em conta as suas características de liquidez, segurança e diversificação, os fundos de mercado monetário ainda oferecem rendibilidades decentes, bastante mais altas que uma obrigação do Tesouro Alemão (também uma referência em termos de segurança), que um repo fraccionado ou inclusivamente que muitos certificados de aforro. Convém sublinhar ainda que após uma forte queda em 2012, os 'spreads' de crédito com vencimentos curtos e o Eonia se mantiveram estáveis.

Por outro lado, aqueles investidores com políticas cujas directrizes sejam ligeiramente mais amplas e com um horizonte de investimento a um prazo marginalmente maior, têm a possibilidade de considerar os fundos pertencentes à categoria de obrigações de curto prazo: sendo estes fundos de tesouraria melhorada, que dão uma maior rendibilidade com uma volatilidade limitada.

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos