Tags: Alternativos |

Fundos Imobiliários: os maiores de cada categoria


Ao fim dos primeiros três meses de 2015, os fundos de investimento imobiliário tinham mais de 11.219 milhões de euros em ativos sob gestão, o que representa uma diminuição de 1,6% face ao valor total contabilizado no final do ano passado, de acordo com o demonstrado no relatório mensal publicado pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP. Igual tendência aconteceu no património imobiliário que fechou o primeiro trimestre com 13.048 milhões de euros.

A Associação divide os fundos imobiliários em seis categorias, consoante “as suas respetivas características descritas no seu Regulamento de Gestão, tendo em consideração a sua natureza, política de investimento e regimes especiais eventualmente aplicáveis”. Em termos de número de produtos, no final de março, existiam 245 fundos no mercado.

A categoria que engloba o maior volume sob gestão é a dos “fundos fechados”. De acordo com a APFIPP, no final de março este segmento totalizava mais de 6.051 milhões de euros, o que em termos de quota de mercado consegue ter uma representação de quase 54%. O maior fundo desta categoria é o Fimes Oriente, gerido pela Gesfimo, que no final de março acumulava mais de 322 milhões de euros em ativos sob gestão.

Apesar desta ser a maior categoria, não inclui o maior fundo do mercado. Este trata-se do Fundimo. Gerido pela Fundger, este fundo faz parte da categoria dos produtos “abertos de rendimento”, tendo terminado o mês de março com mais de 644 milhões de euros em ativos sob gestão. De realçar que desta categoria fazem parte apenas seis produtos, que somam mais de 1.500 milhões de euros no total, o que representa cerca de 13,6% do mercado.

Analisando a outra categoria de fundos abertos, no caso os “fundos abertos de acumulação”, verificamos que o maior fundo é o NovImovest, da responsabilidade da Santander Asset Management. No final de março este fundo tinha mais de 328 milhões de euros em património, sendo que o património global desta categoria supera os 2.100 milhões de euros, representando praticamente 19% do mercado.

Com mais de mil milhões de euros em ativos sob gestão surge, ainda, mais uma categoria: a dos “fundos de investimento imobiliário para o Arrendamento Habitacional”. Contam-se doze produtos desta categoria, com o maior a ser o Montepio Arrendamento II, gerido pela Montepio Valor. No final do primeiro trimestre, este fundo tinha mais de 245,5 milhões de euros em ativos sob gestão.

As restantes duas categorias são bastante mais pequenas, não ultrapassando os 0,5% de quota de mercado. São elas: os “fundos de reabilitação” com mais de 61,5 milhões de euros  em ativos sob gestão e os “fundos florestais” que não chegam aos não 55 milhões de euros. No primeiro caso o maior produto é o Príncipe Real, gerido pela MNF Gestão de Activos que tinha no final de março mais de 24 milhões de euros em ativos sob gestão. Já no segundo caso o fundo que apresenta o maior montante sob gestão é o Josiba Florestal, que é da responsabilidade da BPI Gestão de Activos, e que no final do primeiro trimestre tinha 25 milhões de euros em ativos sob gestão.

Os maiores fundos imobiliários de cada categoria APFIPP

Fundo GestoraCategoria APFIPPAtivos sob gestão (em milhões)% na sua categoria
FundimoFundgerF. Aberto de Rendimento 644,00 €42,17%
NovImovestSantander Asset ManagementF. Aberto de Acumulação 328,06 €15,60%
Fimes OrienteGesfimoF. Fechado 322,58 €5,33%
Montepio Arrendamento IIMontepio ValorFIIAH 245,50 €17,26%
Josiba FlorestalBPI Gestão de ActivosF. Florestal 25,15 €46,15%
Príncipe RealMNF Gestão de ActivosF. Reabilitação 24,16 €39,28%
Fonte: APFIPP no final de março de 2015.
Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos