Fundos europeus “sofrem” com a ascensão dos partidos eurocéticos


Foram muitos os partidos avessos a algumas ideias da União Europeia, que acabaram por registar avanços significativos nas recentes eleições levadas a cabo para o Parlamento Europeu. Com o reafirmar das promessas destes partidos, que maioritariamente contemplam ideias que põem em causa o quadro político atual da UE, os investidores começaram a sentir-se menos “inclinados” para o investimento europeu.

Os últimos dados do EPFR Global são indicativos disso mesmo. A quarta semana de maio “pôs fim” ao ciclo de 45 semanas consecutivas de entradas de dinheiro nos fundos de ações europeus. Desta forma, cerca de 12 mil milhões de dólares também saíram dos fundos do mercado monetário europeu, enquanto os fundos de obrigações europeias registaram saídas semanais pela primeira vez desde o início de dezembro.

Reforçar compromisso com fundos globais

Segundo a entidade, os investidores de retalho tiraram dinheiro da maioria dos fundos de ações no final de maio, para, por outro lado, reforçarem o seu compromisso nos fundos globais, mas também nos produtos de obrigações de mercados emergentes.

Ao nível de países é destacado que a eleição de Narenda Modi, na Índia, fez com que os fluxos de entrada de dinheiro nos fundos de ações  do país crescessem.

Já os fundos de ações de mercados desenvolvidos que o EPFR Global segue, também abrandaram na última semana de maio, com os investidores a tentarem “organizar” os mais recentes dados e tendências relativos futuro do crescimento.  

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos