Fundos de tesouraria dominam subscrições liquidas em Portugal no terceiro trimestre


Segundo a Associação Europeia de Fundos e Gestão de Ativos (EFAMA), os fundos de investimento mobiliários abertos em Portugal tiveram subscrições líquidas positivas durante o terceiro trimestre do ano. O grande destaque vai para os fundos de tesouraria que atingiram os 80 milhões de euros. Já os fundos de fundos tiveram captações líquidas de 25 milhões, enquanto os fundos mistos se fixaram nos 13 milhões de euros.

Os fundos de obrigações e os de ações obtiveram as captações líquidas mais baixas durante o terceiro trimestre , com 10 e 5 milhões de euros, respetivamente.

Também ganham durante o ano

Também em 2013, os fundos de tesouraria ganham nas captações líquidas em Portugal. Nos primeiros nove meses do ano o valor atingiu os 791 milhões de euros, bem longe do segundo lugar que pertence aos fundos de obrigações com 94 milhões de euros.

Do lado negativo aparecem os fundos de ações com captações negativas de 61 milhões de euros.

Portugal em linha com a europa

No final do terceiro semestre existiam 172 fundos de investimento mobiliário aberto em Portugal, sendo que a maior parte são de ações (57 produtos). Com 34 fundos, e em segundo lugar, aparecem os fundos de obrigações. Já o terceiro lugar do pódio é ocupado pelos fundos mistos, com 26 produtos.

Na Europa a tendência é idêntica, com a maior parte dos mais dos 35 mil fundos a pertencerem às ações.

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos