Tags: Pensões | Ações |

Fundos de pensões abertos: os cinco mais, nos últimos cinco anos


Depois de lhe mostrarmos as cinco melhores performances no último ano nos fundos de pensões abertos nacionais, hoje debruçamo-nos sobre a análise da APFIPP que abarca um período de tempo mais longo – cinco anos – e que obviamente se “adapta” melhor a uma análise consonante com o objetivo destes produtos.

Neste ranking encontramos três fundos que já apareciam destacados na análise de performance no último ano feita pela Associação. São eles o Horizonte Acções, da Ocidental Pensões, o BPI Acções, da BPI Vida e Pensões e o Multireforma Acções, da GNB – SGFP.

Neste tempo de análise, o Horizonte Acções, da Ocidental Pensões, assume o lugar cimeiro da análise, com 6,2% de retorno anualizado, nos últimos cinco anos. Este fundo constituído em 1992, com a denominação de Fundo de Pensões Aberto Horizonte Valorização, segundo o site da gestora, tem atualmente uma alocação de 55,81% a ações, 37,5% a obrigações, 3,94% a imobiliário e hedge funds e 2,75% a instrumentos de liquidez. Valdemar Duarte, diretor geral da Ocidental Pensões, a propósito do prémio recebido pela gama de fundos Horizonte no final de 2014, referia na primeira revista Funds People Portugal de 2015, que “os fundos de pensões não se podem analisar apenas pelo seu rendimento”, já que “não são apenas gestão de investimentos e rendimento”. Os últimos dados da APFIPP sobre o volume sob gestão das gestoras de pensões, de final de março de 2015, atribui a esta que é a gestora líder neste segmento, uma quota de mercado de 28,27% e um volume sob gestão de 5,1 mil milhões de euros.

Também com 6,2% de retorno nos últimos cinco anos, figura um fundo da CGD Pensões, o Caixa Reforma Garantida 2022 + , que, segundo o prospeto atual disponível na CMVM, é um produto com um benchmark central de 70% a obrigações e de 10% a ações. O fundo, tal como o anterior, é classificado com um nível de risco 4 pela Associação e conta com 14,9 milhões de euros de volume sob gestão.

O BPI Acções, gerido pela BPI Vida e Pensões, aparece no terceiro lugar desta lista elaborada pela APFIPP, com  6% de retorno anualizado, e é o produto com mais ativos sob gestão deste ranking: 57,1 milhões.

O Multireforma Acções, da GNB – SGFP, que fechava o ranking das cinco melhores rendibilidades de fundos de pensões abertos a um ano, nesta análise da Associação figura em quarto lugar, com 5,5% de ganhos anualizados. O fundo gerido por Pedro Barata, tem 11,3 milhões de euros de ativos sob gestão e é classificado com um nível de risco 6. O fundo investe maioritariamente em ações, sendo esse valor de referência de 100% da carteira. Em julho, segundo a ficha de produto disponível online no site da gestora, o fundo tinha nas maiores posições em carteira empresas como a BNP Paribas, a Carrefour, a Telefonica, a Brit America Taba e a Accor SA.

Fecha este ranking outro fundo da Ocidental Pensões: o Turismo Pensões, com 5,1% de rentabilidade nos últimos cinco anos. O Fundo, que não permite adesões individuais, iniciou atividade em 1997 e, segundo o site da entidade, tem uma alocação central a ações nacionais de 25%, enquanto a exposição central a obrigações de taxa fixa euro é de 50%. A carteira atual do produto, segundo a mesma fonte, demonstra que as obrigações compõe 63,95% da carteira, enquanto as ações ocupam uma percentagem de 28,2%.

As 5 melhores rendibilidades de Fundos de Pensões Abertos (ranking APFIPP)

Nome do Fundo

Sociedade Gestora

Rendibilidade Anualizada

Nível de Risco

Volume sob gestão (milhões de euros)

Horizonte Pensões

Ocidental Pensões

6,2%

4

11,7

Caixa Reforma Garantida 2022+

CGD Pensões

6,2%

4

14,9

BPI Acções

BPI Vida e Pensões

6,0%

4

57,1

Multireforma Acções

GNB -SGFP

5,5%

6

11,3

Turismo Pensões

Ocidental Pensões

5,1%

4

2,8

Fonte: APFIPP, 31 de julho
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos