Fundos de obrigações “saíram de fininho” da lista de mais subscritos


Se em setembro – no conjunto de fundos mais subscritos no BiG, Banco Best e ActivoBank, e ainda a plataforma de fundos do Banco Investo número de fundos de obrigações tinha avançado para mais de uma dezena, o mês de outubro trouxe uma redução de presença destas estratégias. O apetite por risco dos investidores adensou-se e, por isso, os fundos de ações voltaram claramente à ribalta.

Assim sendo, os fundos mistos, mas também o próprio universo de fundos de obrigações com presença no conjunto das listas, reduziu-se. Contam-se portanto 7 fundos de obrigações no total dos rankings de fundos mais subscritos das entidades acima referidas. Para além de pequeno, o conjunto de fundos de obrigações contempla nomes que pouca novidade trazem.

Flexibilidade, acima de tudo...

A flexibilidade continua a ser um ‘must have’ para os investidores das plataformas, visto que nomes como The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q Inc, a cargo da Jupiter, e o PIMCO Unconstrained Bond, da Pimco, - ambos fundos flexíveis com uma abordagem global – estão de pedra e cal também em outubro.

O fundo da PIMCO, segundo a página da própria entidade, apresenta a vantagem de "remover quaisquer constrangimentos de benchmark", ganhando “latitude suficiente para estar investido em crédito, taxas de juro, volatilidade, e oportunidades nas divisas através de sectores globais e regionais”. Segundo as mesmas informações relatadas na página da entidade, o fundo normalmente apresenta uma duração que varia entre os 3 anos negativos e os 8 anos positivos.

No caso do fundo da Jupiter, realce-se que a gestão do produto é encarada como a de um fundo de retorno absoluto, como relatava há alguns meses  Katharine Dryer, Product Specialist Director da entidade. Nas maiores posições da carteira continuam a figurar investimentos em obrigações governamentais australianas, tal como a especialista já fazia questão de relatar na altura. 

... mas diversificação também

No mesmo prisma de comparência já habitual há lugar para o fundo Fidelity F Euro Bond A, gerido pela Fidelity Worldwide Investment, ou para o BNY Mellon Euroland Bond P, da BNY Mellon Investment Managemen, ambos fundos com obrigações diversificadas do universo europeu. 

Uma das opções que continua também a figurar é o Schroder ISF Global Convertible Bond, gerido pela Schroders. Trata-se de um com uma carteira “tipicamente balanceada” que se “pode ajustar tanto a um investidor de obrigações, como a outro com um perfil mais agressivo”, referia há alguns meses Martin Kuehle, investment director de convertible bonds da entidade.

Veja abaixo os restantes 'resistentes' de obrigações de outubro. 

Fundos de obrigações estrangeiros mais subscritos nas plataformas de fundos 

Fundos GestoraCategoria/Região 
BNY Mellon Euroland Bond PBNY Mellon Investment Management Obrigações diversificadas/Europa
Fidelity F Euro Bond AFidelity Worldwide InvestmentObrigações diversificadas/Europa
JPMorgan Funds - Global Government Bond D (acc) – EURJ.P. Morgan AM Obrigações governamentais/ Global 
Parvest Bond Euro Government NBNP Paribas Investment PartnersObrigações governamentais/Europa
PIMCO Unconstrained BondPIMCO Obrigações flexíveis/global
Schroder ISF Global Convertible BondSchroders Obrigações convertíveis/global 
The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q IncJupiter AM Obrigações flexíveis/global

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos