Fundos de obrigações flexíveis e fundos mistos: em junho também se balancearam as carteiras


Junho foi um daqueles meses do ano em que a tendência foi inegável: os fundos de ações dominaram as preferências dos investidores das plataformas nacionaisBiG, Banco Best, ActivoBank  - e da plataforma de fundos do Banco Invest.

Se no conjunto dos mais subscritos do global das entidades se contavam 21 fundos de ações, no caso das estratégias de obrigações estas não vão além das quatro.

Tal como aconteceu noutros meses, a flexibilidade e a diversificação foram as palavras de ordem quando se olha para os produtos que investem no mercado obrigacionista. Os nomes constantes da lista de fundos preferidos dos clientes das plataformas a este nível não são contudo novidade. Bem pelo contrário. Falamos  de quatro fundos que têm presença assídua nas listas mensais.

Diferentes mas com o mesmo denominador comum: flexibilidade

Apenas um se trata de um fundo que investe no universo das obrigações europa. É ele o BNY Mellon Euroland Bond P, que, segundo a página online da Morningstar investe em obrigações diversificadas. O fundo apresenta em carteira, nas cinco maiores posições, obrigações soberanas da Alemanha, França ou Espanha com diferentes cupões.

Os restantes fundos de obrigações que compõem a amostra de junho são dois fundos flexíveis globais e um convertível. O PIMCO Unconstrained Bond, gerido pela PIMCO, é um fundo que procura o máximo retorno no longo prazo, consistente com “a preservação do capital e a gestão prudente do investimento”. Segundo as informações online da empresa de análise, o produto apresenta uma duração negativa de 1,31, enquanto a maturidade efetiva do fundo é de 1,18 anos.  Outro dos produtos em destaque é o conhecido Jupiter Dynamic Bond, gerido pela Jupiter Asset Management. O fundo classificado pelos profissionais nacionais como sendo “muito flexível”, continua a sua aposta na dívida australiana, tal como relatava à Funds People Portugal em março, Katharine Dryer, product specialist director na entidade. O fundo gerido por Ariel Bezalel mantém assim nas maiores posições da carteira obrigações soberanas da Austrália com diferentes cupões.

Por fim destaque para um fundo da Schroders . O Schroder ISF Global Convertible Bond é um fundo convertível da casa, com “uma carteira tipicamente balanceada que se pode ajustar tanto a um investidor de obrigações, como a outro com um perfil mais agressivo”, segundo o que relatava  Martin Kuehle, investment director de convertible bonds da Schroders numa conferência do Banco BiG lavada a cabo em março deste ano. As informações online da Morningstar na sua página indicam que o produto apresenta uma maturidade de 5,13 anos e em carteira tem nas maiores posições títulos como dívida da Telecom Itália, ou da mexicana Amer movil. 

Fundos de obrigações mais subscritos em junho nas plataformas

Fundos obrigações Gestora 
PIMCO Unconstrained BondPIMCO 
BNY Mellon Euroland Bond PBNY Mellon Investment Management 
Schroder ISF Global Convertible BondSchroders
The Jupiter Global Fund - Jupiter Dynamic Bond Class L EUR Q IncJupiter AM 
Fonte: Informação cedida pelo BiG, Banco Best, ActivoBank e Banco Invest 

O Fundo misto "na berra"

Embora esta análise incida mais nos fundos de obrigações presentes na lista de mais subscritos de junho,  importa salientar que os fundos mistos tiveram uma presença muito forte no mês. Contam-se pelo menos seis produtos desta categoria, sendo que um deles foi o fundo mais subscrito tanto noBiG como no Banco Best. Falamos do Nordea 1 Stable Return Fund, gerido pela Nordea Asset Management. Sobre este fundo, Isabel Soares, gestora de produto do Banco BiG, realçava a “preocupação da equipa de gestão com o controlo dos níveis de volatilidade da carteira”, que “também tem contribuído para que o fundo seja uma das soluções de referência dos investidores em momentos de maior incerteza e volatilidade”.

A este nível realça-se ainda a predominância de fundos da gama flexível da UBS Global AM. Da gestora figuram na lista de mais subscritos o UBS (Lux) SF Balanced (Eur) N Acc e o UBS (Lux) SF Growth (EUR) N Acc, que em carteira apresentam ambos outros fundos de investimento da casa.

Fundos mistos mais subscritos em junho nas plataformas

MistosGestora 
MFS® Meridian Funds - Global Total Return Fund Class A1 EUR AccMFS Investment Management
UBS (Lux) SF Balanced (Eur) N AccUBS Global AM 
UBS (Lux) SF Growth (EUR) N AccUBS Global AM 
BNY Mellon Global Real Return ABNY Mellon Investment Management 
BGF Global Allocation Hdg E2 EURBlackRock
Nordea 1-Stable Return FundNordea AM 

Fonte: Informação cedida pelo BiG, Banco Best, ActivoBank e Banco Invest

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos