Tags: Obrigações | Ações |

Fundos de Fundos apostam na prata da casa


Existem apenas 16* fundos de fundos, segundo a CMVM, geridos por seis entidades locais, que se dividem em fundos de fundos de ações, fundos de fundos mistos, fundos de fundos mistos de ações e fundos de fundos mistos de obrigações. Já a APFIPP considera que existem 17 fundos de fundos, englobando também o BPI Selecção, na sua categoria de fundos de fundos mistos. Para a entidade reguladora, a categorização deste fundo é diferente, estando entre os “fundos abertos de fundos mistos de ações”. De realçar que este fundo do BPI tem como objetivo e política de investimento ter uma carteira com unidades de participação dos vários fundos próprios da BPI Gestão de Activos.

De todos os produtos,  apenas o BPI Universal, o Montepio Multi Gestão Mercados Emergentes e o Barclays Global Dinâmico não têm, nas cinco maiores posições,  um produto criado pela gestora. Nestes três produtos, o destaque vai para os fundos de casas internacionais, tais como o  Schroder ISF EMkT, o PIMCO GIS Hi Yield e o ETF iShares S&P500.

“Braço-de-ferro” entre Millennium e Montepio

Os fundos de fundos da Millennium Gestão de Activos e Montepio Gestão de Activos assumem o papel daqueles que mais fundos domésticos, geridos pela própria entidade, têm em carteira. Ambas as gestoras gerem quatro fundosde fundos que diferem entre si pelo seu perfil de risco e consequente alocação com maior ou menor exposição a ações.

No caso do Montepio, os produtos da oferta própria contempladas nestas carteiras dos fundos de fundos são os fundos Montepio Ações Europa, Montepio Ações Internacionais, Montepio Ações Mercados Emergentes, Montepio Capital, Montepio Obrigações, Montepio Taxa Fixa e Montepio Tesouraria. Já no Millennium BCP, as carteiras dos fundos de fundos apresentam fundos da casa como o Eurocarteira, o Rendimento Mensal, o Liquidez, o Ações América e o Euro Taxa Variável. Destes dois últimos também são contempladas as SICAV registadas no Luxemburgo.

Onde mais se aposta no estrangeiro

A esmagadora maioria das carteiras dos fundos de fundos é composta por fundos domiciliados fora de Portugal. O destaque, em termos de gestoras, vai para a o Barclays Multimanager Funds, através dos seus GlobalAccess. Isto é justificado pelo facto do Barclays Wealth & Investment Management pertencer ao grupo Barclays, investindo as cinco primeiras posições dentro deste tipo de produtos.

Fora desta situação, é a Schroders a gestora mais escolhida com quatro presenças – Schroder ISF EURO Gov Bond A Acc, Schroder ISF Emkt A Acc e Schroder ISF Euro Corporate Bond A Acc.

Também aparecem nas escolhas os fundos Franklin Mutual European, o Amundi Crédit, o Pioneer fds Euroland Equity ou o JPM Europe.

Destaque, também, para os ETF presentes nas maiores posições destes fundos de investimento. O iShares S&P500 ou o DB x-trackers MSCI Europe são os prediletos para os gestores na hora de compor o seu fundo de fundo.

 

*Dados retirados da CMVM e Morningstar

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1 3
Anterior 1 3

O Mais Lido

Próximos eventos