Fundos de Ações voltam a crescer no Brasil


A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), publicou o seu Panorama, referente ao mês de Setembro, onde o grande destaque vai para a rendibilidade dos fundos de ações. Sejam os fundos de ações que seguem o índice de referencia local ou a categoria “ações livres”, ambos tiveram rendibilidades assinaláveis durante o mês, sendo as categorias que mais valorizaram no mês.  

Categoria bate índice

O índice Ibovespa cresceu 4,65% em setembro, sendo o valor mais alto de todo o ano de 2013. Já a categoria de fundos “Ibovespa Indexado” superou o índice no mês, com 4,67% de ganhos. Ainda assim, desde do início do ano o índice Ibovespa ainda segue a perder 14,13%. Já os fundos de ações que seguem o índice perdem menos, 13,28%. Os fundos de “ações livres” estão positivos, pela primeira vez no ano, valorizando 0,56% desde janeiro. Já nos últimos doze meses, esta categoria é a segunda que mais valorizou, apresentando ganhos de 10,49%, sendo apenas superada pela categoria Multimercados Long and Short – Direcional.

Segundo a publicação, a valorização acumulada pelo índice no terceiro trimestre foi de 10,29%, “a maior desde do primeiro trimestre de 2012, quando alcançou 13,67%”.

Obrigações voltam a crescer

Já os fundos de obrigações voltaram aos ganhos, após as quedas do mês de agosto. A categoria “Renda Fixa” valorizou 0,82% no mês passado, sendo que isso aconteceu “em alguma medida, devido a um menor pressão sobre as taxas de juros domésticas, especialmente após o anúncio por parte do FED no dia 18, de que irá manter a política de afrouxamento monetário nos próximos meses”, como se pode ler no panorama publicado pela ANBIMA.

Outras notícias relacionadas


Anterior 1 3 4
Anterior 1 3 4

Próximos eventos