Fluxos nos ETPs globais: julho foi o segundo melhor mês do ano


Julho foi o segundo melhor mês do ano em termos de fluxos nos ETP globais, segundo o que relata a BlackRock, no seu Gobal ETP Landscape. No documento indicam que a nível global entraram nos produtos 36,3 mil milhões de dólares, para os quais contribuíram em grande medida os ETF de ações europeias, os de ações de mercados desenvolvidos fora dos EUA e, por último, os produtos de obrigações.

Destacando-se a tendência de constante crescimento da adoção de ETPs, é importante nomear que foi o terceiro mês de julho consecutivo em que os fluxos superaram os 30 mil milhões de dólares, “apesar dos habituais baixos valores negociados durante o verão”, pode ler-se no relatório do mês.

Num mês que ficou marcado pela incerteza na Grécia e pela correção do mercado de ações chinês, para além dos fundos de investimento, também ao nível dos ETFs os investidores preferiram “favorecer exposições mais seguras tanto em ações como a obrigações”.

Desta forma, nas primeiras duas semanas de julho a incerteza sobre o referendo grego e a correção de mercado na China guiou entradas de dinheiro de 9,1 mil milhões de dólares e de 3,7 mil milhões de dólares nos produtos cotados de grandes capitalizadas norte-americanas e nos produtos que seguem as treasuries norte-americanas, respetivamente. Com as tensões a desvanecerem em relação a ambos os assuntos, o ETP Landscape de julho relata que “uma grande fatia de fluxos se moveu para os produtos cotados de mercados de ações desenvolvidos, com exceção dos Estados Unidos. As exposições a mercados pan-europeus alcançaram entradas de 6.6 mil milhões de dólares, os produtos com exposição ao Japão 6,5 mil milhões, e aos EAFE (Europe, Australasia, Far East) 2,2 mil milhões de dólares.

Outra das tendências que se analisa tem que ver com os produtos cotados de ações com cobertura de divisas e com os smart beta, que se afirmaram como os dois segmentos com um crescimento mais rápido ao nível dos ETP, “continuando estáveis com fluxos de 3,5 mil milhões de dólares e 1,6 mil milhões, respetivamente”.

Foco no smart beta

No relatório da BlackRock de julho é ainda feita uma especial menção aos ETPs globais de smart beta, que continuam a dar que falar, pelo terceiro ano consecutivo. “Os ativos têm-se expandido rapidamente crescendo a uma taxa anualizada de quase 40% desde o início de 2012”, indicam. 

Neste âmbito destacam o crescimento da Europa acima de outra qualquer região, com os ativos destes produtos a chegarem aos 20 mil milhões de dólares, mais 50% por ano desde 2012, e com os fluxos anuais que se aproximam dos 3 mil milhões de dólares. 

Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos