Fluxos de fundos europeus e de mercados emergentes continuam em sentidos opostos


A segunda semana de novembro demonstra que os fundos de ações de mercados emergentes do EPFR Global registaram o seu maior fluxo desde o passado mês de junho, sendo que os investidores retiraram dinheiro dos fundos de obrigações de mercados emergentes pela 24ª vez nas passadas 25 semanas.

No geral, os fundos de ações do EPFR Global alcançaram um record colectivo de entradas líquidas de 196 milhões de dólares na semana que terminou a 13 de novembro, em contraposição com as saídas líquidas de dinheiro na ordem dos 1,18 mil milhões de dólares dos fundos de obrigações, e 2,9 mil milhões de dólares dos fundos de mercados monetários.

Os fundos de mercados monetários europeus representaram a maior parte dos resgates dos fundos de mercado monetário, já que os investidores voltaram a colocar dinheiro nos mercados de ações e obrigações regionais. Os fundos de obrigações europeias registaram a maior captação mensal de dinheiro desde o início de maio, enquanto os fundos de ações regionais europeias beneficiaram de uma semana sólida.

Fundos de ações europeias: inflow continua

Segundo as informações da entidade, os fluxos dos fundos de ações de mercados desenvolvidos do EPFR Global recuperaram durante a segunda semana de novembro, enquanto os fundos de ações europeus continuaram o seu record de entradas de fluxos.  Os fundos de ações norte-americanas, por seu lado, atraíram quantias modestas de dinheiro. Nos fundos de ações japoneses os fluxos caíram para o nível mais baixo das últimas duas semanas, com os últimos dados relativos ao PIB a demonstrarem o crescimento das exportações e a mostrarem a diminuição do consumo privado, enquanto se esperavam aumentos no investimento empresarial privado.

Os fundos de obrigações da Colômbia, por seu lado, atraíram dinheiro, enquanto os fundos regionais da europa emergente tiveram a sua melhor semana desde meados de janeiro. Os resgates nos fundos de obrigações russos alcançaram um bom record e os fundos de obrigações brasileiros continuaram a sua longa saída de fluxos.

Apesar do sentimento geral na Europa continuar bullish, no último relatório do EPFR global pode ler-se que os fluxos coletivos para fundos de ações europeias caíram para o nível mais baixo desde a última semana de julho, com os “robustos” compromissos para os fundos regionais e ingleses, que foram largamente compensados por uma semana de grandes resgates em fundos de ações na Alemanha.

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

O Mais Lido

Próximos eventos