Flexibilidade e procura da oportunidade: os fundos de obrigações mais subscritos em fevereiro


High yield, obrigações globais, ou títulos de dívida emitidos por governos da Europa. A tendência nos fundos de obrigações mais subscritos no passado mês de fevereiro nas três plataformas nacionais foi assim: difusa.

Embora os fundos de obrigações aparecem numa “quantia” residual no ranking dos fundos estrangeiros mais subscritos  em fevereiro no BiG, ActivoBank e Best, há algumas considerações a assinalar sobre os resistentes que figuram. 

High yield ganha expressão em fevereiro

O high yield continua a ser para muitos investidores um campo de investimento com interesse, principalmente porque o segmento do high yield nos EUA continua a sair penalizado pela alocação ao sector energético. É neste contexto que aparece nos fundos mais subscritos de fevereiro o Neuberger Berman Short Duration High Yield Bond, a cargo da Neuberger Berman Europe. O produto investe sobretudo em obrigações high yield de curta duração, emitidas por empresas dos EUA e por empresas não americanas que desenvolvam a maior parte da sua atividade nos EUA. Também com um foco em obrigações high yield, mas no caso de empresas europeias, sublinha-se a presença no ranking do MSS Euro Corporate Bond B, gerido pela Morgan Stanley Investment Management, que investe naturalmente em obrigações empresariais high yield emitidas em euros.

Investir globalmente e de forma flexível  

Numa altura em que se torna complicado encontrar oportunidades – e retorno – no campo das obrigações, a flexibilidade ganha um novo significado. Nos mais subscritos encontramos, neste sentido, o Jupiter Dynamic Bond Fund, da Jupiter AM, mas também o JPMorgan Funds Global Bond Opportunity, gerido pela J.P. Morgan Asset Management.

No caso do Jupiter Dynamic Bond Fund – um resistente nos rankings dos mais subscritos - sublinha-se a visão totalmente sem restrições oferecida por um produto que investe a nível global. (leia brevemente na Funds People a entrevista a Katharine Dryer, product specialist director na Jupiter AM). Já o fundo da J.P. Morgan apresenta também uma abordagem flexível, investindo tanto em mercados desenvolvidos como em mercados emergentes. Numa recente visita a Lisboa, Brigid Jackson, especialista de obrigações da casa, referia que na gestão do fundo são “muito dinâmicos no que diz respeito à gestão do risco, já que existem momentos em que temos de assumir mais risco e noutros não". "Analisamos o risco em toda a sua dimensão”, dizia. 

A oportunidade denominada de QE

Finalmente, destaque ainda para uma estratégia de investimento que se foca na Europa. O início do QE por parte do BCE foi provavelmente impulsionador de uma procura de produtos que beneficiem deste processo. Em fevereiro, e já repetente na lista em janeiro, aparece o Parvest Bond Euro Government, que investe em obrigações denominadas em euros emitidas por Estados-Membros da União Europeia. 

Fundos de obrigações mais subscritos nas plataformas em fevereiro 

Fundo Gestora Região 
JPMorgan Funds Global Bond OpportunitiesJ.P. Morgan AM Global 
Jupiter Dynamic Bond Fund Jupiter AMGlobal 
MSS Euro Corporate Bond BMorgan Stanley Investment Management Europa 
Neuberger Berman Short Dur. High Yld BdNeuberger Berman Europe EUA
Parvest Bond Euro Government NBNP Paribas IPEuropa
Fonte: informação cedida pelas plataformas aqui
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos