Tags: Obrigações | Ações |

Europeus voltam a preferir as ações


Segundo os dados publicados pela Morningstar, em relação aos fluxos de fundos de investimento europeus, os habitantes do Velho Continente voltaram a apostar na indústria. Durante o mês de julho, os fundos europeus atraíram perto de 26,8 mil milhões de euros, invertendo a tendência até então, já que no mês anterior tinham sido resgatados 35 mil milhões de euros, com destaque para os fundos de longo prazo (não monetários).

Durante o primeiro mês do segundo semestre, todas as categorias de fundos aumentaram as suas subscrições líquidas, com grande destaque para os fundos de ações, excepto os fundos imobiliários e de commodities.


BlackRock a vencedora em julho

A gestora BlackRock foi a grande vencedora do mês de julho, com subscrições líquidas de 2,2 mil milhões de euros, entre fundos de ações, obrigações e mistos. Em segundo lugar aparece a J.P. Morgan com 1,6 mil milhões de euros em subscrições líquidas. Fecha o pódio a DWS com 858 milhões de euros em subscrições líquidas durante o mês de julho

Tendência mantém-se desde do início do ano

Aumento o tempo para desde do início do ano, a tendência mantém-se. Em primeiro lugar aparece a J.P.Morgan com 16,1 mil milhões de euros de subscrições líquidas. Em segundo lugar vem a BlackRock com 14,4 mil milhões de euros.

Principais conclusões para a Morningstar

- Os fundos de ações captaram o maior número de subscrições, atingindo perto de 10,2 mil milhões de euros, com as categorias de US Large-Cap Blend e Global Equity Income a garantirem 5,4 e 10,8 mil milhões de euros, desde do início do ano.

-  Os fundos de obrigações registaram entradas, em julho de 5470 milhões de euros, estando com um saldo positivo desde do início do ano de 72 mil milhões de euros. No entanto, para o diretor de análises de fundos da morningstar em Espanha, Javier Sáenz de Cenzano, “embora os fluxos dos fundos de obrigações tenham recuperado um pouco , 5470 milhões de euros de subscrições novas em julho, estão longe da enorme procura por fundos de obrigações nos últimos 18 meses. Especificamente, no mês passado, os fundos de obrigações diversificados e EUR Government Bond foram prejudicados , enquanto os fundos de alto rendimento (High Yield ) e de taxa fixa de curto prazo tiveram um resultado positivo. Isso reflete a preferência dos investidores por crédito menos sensível à taxa de juro e investimentos mais curtos em tempos de subida de taxa de juro”, conclui.

- Já as obrigações de alto rendimento registaram a maior subscrição em julho, invertendo o que tinha acontecido no mês anterior. O destaque aqui vai para a categoria USD High Yield Bond com 3,5 mil milhões de euros e para a categoria Global High Yield Bond com 2,07 mil milhões de euros. Do lado oposto, aparecem as categorias diversificadas em Euros e em Dólares, com saídas de 1,7 mil milhões de euros em cada.

- Os fundos do mercado monetário aumentaram em 1100 milhões de euros

 

Empresas

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos