Tags: Obrigações | Ações |

Estrelas Morningstar: 5 estrelas apenas “rendem” acima de 2 anos


O Rating Morningstar é baseado na performance que o fundo consegue face à categoria Morningstar em que está inserido. Também o risco e as comissões do fundo estão incluídos em todo o processo. Este é o ponto de partida para a análise da junção da rendibilidade e das estrelas que cada fundo tem nas gestoras portuguesas. De realçar ainda que top 10% de cada categoria Morningstar recebe 5 estrelas, os seguintes 22,5% 4 estrelas, os 35% do meio da tabela recebem 3 estrelas, os seguintes 22,5% 2 estrelas e os últimos 10% recebem 1 estrela.

Até dois anos

Nas rendibilidades mais curtas, até dois anos, os fundos de cinco estrelas não conseguem bater os restantes. Tendo como exemplo o mês de novembro, foram os fundos de quatro estrelas que conseguiram a melhor rendibilidade com 1,5%. Os fundos de cinco estrelas ficaram no fim da tabela com 0,5%. Acima de 1% de rendibilidade, no último mês, também aparecem os fundos de uma estrela (1%) e os de três estrelas (1,12%).

O mesmo acontece nos últimos seis meses, com os fundos de quatro estrelas a serem os líderes destacados com 4,67% de ganhos. Os fundos de cinco estrelas ficam-se por 1,57% enquanto os de uma estrela conseguem 3,43%. Já nos últimos doze meses, os fundos cinco estrelas conseguem aproximar-se e começar a sua recuperação. A um ano, os fundos cinco estrelas atingem 8,16% de ganhos o que apesar de ser o mais baixo, consegue aproximar-se dos fundos de duas estrelas (8,79%). Quatro e três estrelas lideram com 12,33% e 11,17%, respetivamente.

Líderes a longo prazo

“Os fundos querem-se como corredores de maratona”. Esta é uma das melhores expressões que definem os fundos de investimento. Deste modo, a sua consistência é um dos principais fatores para o sucesso do produto. E é aqui que os fundos cinco estrelas marcam a diferença. Nos prazos acima de 2 anos, inclusive (2, 3,5 e 10 anos), os fundos cinco estrelas lideram de forma destacada o mercado, como se pode ver no gráfico. Com rendibilidades de 13,73% (2 anos), 7,65% (3 anos), 7,24% (5 anos) e 5,46% (10 anos), os fundos com classificação máxima para a Morningstar conseguem mostrar que a longo prazo são ótimos investimentos.

Nos prazos mais alargados, destaque para a rendibilidade negativa dos fundos com uma estrela a três anos que pode ser justificada com a crise da dívida soberana que ainda está presente nas rendibilidades, e com grande peso nos cálculos.

 

 

Outras notícias relacionadas


Anterior 1
Anterior 1

Próximos eventos