E o melhor fundo do ano passado é...?


365 dias depois do seu início, o ano de 2015 chegou ao fim. Foi um ano intenso, com muitos altos e baixos nos mercado financeiros, sejam eles nacionais ou internacionais. Entre o final do dia 31 de dezembro de 2014 e o último dia de 2015, os fundos de investimento nacionais registam uma rendibilidade média anualizada de 1,17%, de acordo com os dados disponibilizados pela Morningstar através da sua plataforma online.

No final do ano passado, eram quase duzentos os produtos de investimento que existiam no mercado nacional. De todos eles, aquele que maior rendibilidade atingiu durante os 365 dias do ano foi o Caixagest Acções Japão. No ano de 2015 a rendibilidade deste fundo da Caixagest foi de 21,12% e no final de novembro geria mais de 20 milhões de euros. Nos maiores investimentos encontramos a parte financeira da Mitsubishi, além da Sony e da Yamaha.

O segundo produto ‘mais sorridente’ no mercado nacional no ano passado foi o IMGA Acções Portugal. Gerido por Nuno Marques da IM Gestão de Ativos, o fundo registou em 2015 uma rendibilidade de 19,58%. Entre as maiores posições em carteira podíamos encontrar, no final de novembro, a Sonae SGPS, a Portucel e a Galp Energia. O gestor, em entrevista à Funds People, afirmava que existem alguns factores que o ajudam a escolher uma empresa como por exemplo a “liquidez transacional e o free float”, além de outros factores de seleção, como  as “especificidades operacionais de cada empresa que se refletem nos resultados”, e ainda a “qualidade do balanço”.

O terceiro produto mais rentável é uma das grandes revelações do segundo semestre do ano. Trata-se do Caixagest Infraestruturas que regista, em todo o ano de 2015, uma rendibilidade de 18,93%.  O produto é da responsabilidade da Caixagest e teve grande destaque no terceiro trimestre do ano, onde apresentou a melhor rendibilidade do mercado nesse período. No final de novembro o seu património ascendia a mais de 106,5 milhões de euros, com os maiores investimentos a serem realizados no sector das infraestruturas. Há mais de um ano Teresa Empis Falcão, da VdA, explicava à Funds People Portugal que “os fundos de infraestruturas olham cada vez mais para ativos portugueses”.

Portugal bem representado

Além do produto da IM Gestão de Ativos já mencionado, o investimento em Portugal entra nos produtos mais rentáveis do ano. Com uma rendibilidade de 18,55% vem o BPI Poupança Acções da BPI Gestão de Activos. Os últimos dados conhecidos reportam ao final do mês de novembro, onde o seu património ascendia a 1,7 milhões de euros. Nos maiores investimentos em carteira encontramos um futuro sobre o principal índice bolsista nacional, seguido da NOS, Sonae SGPS, BCP e EDP Renováveis.

Logo depois vem o Banif Acções Portugal que é gerido pela Banif Gestão de Activos. Em 2015 a sua rendibilidade supera os 17,72%, tendo, no final de novembro, um património superior a 5 milhões de euros. Tal como no fundo  anterior, o maior investimento reside num futuro sobre o PSI-20. Podemos também encontrar as cotadas Altri, EDP Renováveis ou a Sonae SGPS na "gama" de investimentos.

Também encontramos o BPI Portugal da BPI Gestão de Activos. No ano passado a sua rendibilidade foi de 17,12%, sendo seguido por três produtos da Caixagest, dos quais dois deles investem no mercado nacional: o Caixagest PPA e ainda o Caixagest Acções Portugal.

Os fundos de investimento com mais de 10% de ganhos em 2015

Fonte: Morningstar no final de 2015
Empresas

Próximos eventos