Tags: Consultoria | Negócio |

Dolat Capital: “Temos um posicionamento contrarian value, bem como um enfoque na análise do risco político e do seu impacto nos mercados financeiros”


- Como veem a evolução do negócio das SCI no médio prazo?

Em nosso entender, o setor financeiro em Portugal irá sofrer, num futuro próximo, um processo acelerado de especialização dos serviços,  revitalização tecnológica e maior exigência regulatória.

Os investidores  (profissionais e não profissionais)  irão exigir uma melhoria significativa dos serviços prestados, preços mais justos e um modelo de interação apelativo.

Assim, é nossa convicção que o negócio de consultoria de investimentos bem estruturado e focado no cliente poderá preencher a lacuna existente.

- Qual a vossa filosofia de negócio e a maior mais valia que apresentam ao mercado?

Integridade, transparência e prioridade ao cliente são o nosso ADN. Por isso, recusamos em absoluto situações de conflitos de interesse com terceiros, mesmo em detrimento de eventuais resultados operacionais mais favoráveis no curto prazo. Relativamente ao fatores que nos distinguem, salientamos:

- Equipa de elevada especialização com um profundo conhecimento em investimentos financeiros e assuntos conexos;

- Disciplina “Value Investing”, posicionamento “Contrarian”, desenvolvimento interno de estratégias de investimento; 

- Enfoque em temáticas relacionadas com risco político (global ou local) e o seu impacto nos mercados financeiros.

- Quais os maiores desafios de negócio para o futuro?

Constituir um negócio de raiz no setor de serviços financeiros, em Portugal, por si mesmo , é um desafio com certa complexidade.  A este, acrescentamos o fraco volume de poupança agregada das famílias e das empresas portuguesas, e finalmente o fato de o negócio de consultoria para investimentos ser ainda recente e, consequentemente, sem tradição no nosso país.

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


O Mais Lido

Próximos eventos