Dólar é a segunda moeda dos activos nas carteiras de gestão de patrimónios


Os activos detidos pelas carteiras de gestão de patrimónios são quase na totalidade denominados em euros, 98,26%, de acordo com o relatório mensal da APFIPP relativo a Outubro, com o dólar a ser a segunda divisa mais representativa entre os restantes 1,74%.

Em moeda dos Estados Unidos há activos no montante equivalente a 462,1 milhões de euros, o que corresponde a um peso no total de 0,92% (igual ao de Setembro). A terceira divisa mais representativa é a libra inglesa (122,8 milhões de euros), com um peso no valor total dos activos em carteira de 0,24%.

Além destas há ainda nas carteiras de gestão de patrimónios activos denominados em real do Brasil (92,84 milhões de euros; peso de 0,18%), dirham de Marrocos (70,44 milhões de euros; peso de 0,14%), franco suíço (29 milhões de euros; peso de 0,06%) e em coroa norueguesa (18,04 milhões; peso de 0,04%); na parcela de outras moedas o valor em carteira ascenda e 76 milhões de euros (0,15% do total), de acordo com os dados de Outubro.

No final do mês passado, o valor sob gestão discricionária ascendia a 50,19 mil milhões de euros, mais 1,3% que em Setembro.

No relatório, a APFIPP refere que a evolução das aplicações por moeda de investimento inclui informação sobre os valores geridos pela BMF, BPI Gestão de Activos, Caixagest, CréditoAgrícola Gest, Dunas Capital – Gestão de Activos, ESAF – GP, F&C Portugal, MNF Gestão de Activos, Montepio Gestão de Activos, Orey Financial, Patris Gestão de Activos e Santander Asset Management. Em Outubro, acrescenta, os montantes geridos por estas entidades representavam 89,9% do valor global das carteiras sob gestão discricionária (fonte CMVM).

Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos