“Diversidade”: a característica chave dos ETFs mais negociados


No passado mês de agosto no Banco BiG, Isabel Soares, revela que existiu “uma forte procura em produtos que permitam beneficiar de valorizações nos compartimentos de dívida corporativa Europeia”, sendo que, por isso, “o Lyxor ETF Euro Corporate Bond e o Amundi ETF Euro Corporates se destacaram pelo volume de inflows captados ao longo do período”. Simultaneamente, da entidade verificaram uma “redução da exposição por parte de alguns investidores ao iShares Euro Goverment Bond (ETF com enfoque ao bloco de dívida soberana periférica)”. Em termos de exposição ao segmento accionista, “Itália tem atraído o interesse de muitos investidores que vislumbram algumas oportunidades interessantes nesse mercado. Esta crescente procura  trouxe alguns inflows interessantes ao iShares FTSE MIB. Alguns produtos sobre o DAX  ou Mercados Emergentes registaram  volumes de negociação bastante expressivos sem que existisse, no entanto, uma predominância clara de compras ou vendas”, refere. Da entidade destacam ainda “a realização de algumas mais-valias no segmento de small caps (um dos mais procurados ao longo dos últimos meses). Os ETFs SPDR S&P Emerging Small Cap, iShares Stoxx Europe Small 200 ou o iShares Russel 2000 registaram alguns outflows neste último período”, conclui.

 

Do Banco Best, Carlos Almeida, assinala que “o top 5 do mês de agosto revelou uma diversificação na seleção dos ETFs, revelando uma procura pelo investimento em Portugal, em Mercados Emergentes estando neste capítulo o investimento na China mais em foco, EUA e Commodities”. O profissional destaca que “o investimento no principal índice português teve maior destaque através do ETF da ComStage - ComStage PSI20 UCITs ETF”. Já em relação aos mercados emergentes “a seleção recaiu no ETF Vanguard Emerging Markets Stock Index Fund, que investe essencialmente no mercado da China, Brasil, Taiwan e África do Sul, mas neste setor o investimento em ações de grande capitalização do mercado chinês teve também destaque através do ETF iShares China Large Cap UCITS”. O investimento nos EUA, segundo a entidade,  “foi mais evidente através do ETF com cobertura cambial iShares S&P 500 EUR Hedged UCITs ETF”. No que diz respeito a commodities, “a procura foi espelhada através do ETF United States Oil Fund, que investe no preço do petróleo em mercado do WTI (West Texas Intermediate) negociado no mercado americano”.

 

No ActivoBank a tendência de julho, seguiu-se em agosto. Guilherme Cardoso, da entidade, refere que se continuou “a assistir aos mesmos veículos que são utilizados pelos clientes, sobretudo como alocações táticas de curto-prazo”.

Profissionais
Empresas

Outras notícias relacionadas


Próximos eventos